segunda-feira, dezembro 22, 2008

Balanço do ano

Acho que a notícia mais badalada deste ano, falando internacionalmente, foi a eleição de Barack Obama. Tenho minhas ressalvas quanto aos americanos por questões históricas, pelo fato de eles financiarem guerras, enfim... e a eleição de um homem negro é um feito histórico. Por que ao mesmo tempo que lutamos contra o racismo, no mundo, digamos assim, ele ainda vive, ocorre. Sinal de que precisamos continuar lutando, não só contra o preconceito, mas contra qualquer tipo de preconceito. O melhor de tudo mesmo pra mim é a saída de Bush da Casa Branca.
No Brasil para mim a cousa ainda está confusa. Não sei se o saldo foi positivo ou não. Politicamente falando tivemos várias decepções, casos sérios de corrupção e algumas prisões. Ah! Continua tendo casos de dólares nas cuecas, ou seriam casos de cuecas milionárias. Também teve homicídios chocantes e a trágica enchente e desabamento de morros em Santa Catarina. Deste último caso ficou o saldo da solidariedade, embora tenham sido descobertas fraudes e desvio de dinheiro de campanhas para os desabrigados.
Eu nem sei mais o que dizer, porque bem que eu queria ter muitas coisas boas pra falar, dizer que o ano foi maravilhoso, não teve corrupção, os indices de analfabetismo diminuiram, a pobreza deu lugar para a boa qualidade de vida e a igualdade social, os corruptos foram presos e as guerras pelo tráfico deram lugar a paz, o número de vítimas de balas perdidas e do trânsito caíu, as empresas e as pessoas estão agindo mais em prol do meio ambiente, entre outras notícias que gostaria de saber, de ler, de escrever. Infelizmente ainda não foi dessa vez, quem sabe no próximo ano? Vamos fazendo nossa parte, assim como na fábula do colibri. Aos olhos de alguns pode ser pouco, mas se cada um fizer o seu pouco...
Fico torcendo para que 2009 seja cheio de luz e paz para todos nós.

quarta-feira, dezembro 17, 2008

O beijo de Bush

Um beijo de despedida nem sempre é doce, principalmente quando a despedida é conturbada e a relação foi ainda mais conturbada. É o caso da bitoca de Bush no Iraque. Acabou tendo que mostrar agilidade ao desviar-se de dois sapatos número 42. E disse não sentir-se ofendido ao ser chamado de cachorro.
Embora ele não tenha se ofendido o ato em si, demonstra o desagrado de parte do povo com a política dos Estados Unidos para com o Iraque. O insulto do jornalista Muntadhar al-Zeidi pode ser considerado um problema diplomático. Só não entendo porque a invasão do Golfo, do Iraque, do Afeganistão pelos Estados Unidos não é.
Agora o reporter está preso, alguns dizem que ele está com o braço e algumas costelas quebradas. Mas talvez isso seja só especulação, afinal os militares americanos são muito bons, não torturam prisioneiros dentro das dependências do exército e nem batem neles, pelo contrário os tratam muito bem. Ah! Perdoem-me, o jornalista está sob investigação do exército iraquiano. Bem, sendo assim a coisa muda de figura, como sabemos lá é muito problemático, tanto que os Estados Unidos mandaram tropas para "libertar o povo" e punir o ditador.
Ironias à parte, acho que temos que respeitar os visitantes, é o que manda a boa educação. Agora o visitante também tem que se dar o respeito e respeitar seus anfitriões. Onde já se viu ir até o país invadido por suas tropas e ficar de gracinhas frente as câmeras de televisão? Além do quê, beijo não é uma boa referência e até em dicionários de sonhos tem a interpretação da traição, pelo beijo de Judas em Jesus, talvez. E também tem o beijo da máfia, que pelo que sei é o sinal de que o "vivente" está prestes a virar "morrente". Ou como diria um parente meu "deu pra bolinha dele".

sexta-feira, dezembro 12, 2008

Cafajestada

Primeiro o ex-marido de Suzana Vieira bateu numa profissional do sexo, quebrou o quarto de um motel e não quis pagar. Por isso foi preso. A Suzana o perdoou. A imprensa caiu em cima dizendo que ela não devia ter desculpado o que ele fez. Depois ele arrumou uma amante de vinte e poucos anos. Muito mais jovem que a esposa. A amante foi quem contou tudo a "matriz", que pediu a separação. Ele bateu na amante, que depois de voltar para a casa dos pais o perdoou. Foi morar com a nova mulher e acabou morrendo depois de uma noitada cheia de cocaína e bebidas.
Marcelo Silva ficou famoso apesar dos escândalos. Pelo histórico escolar, além das notas, percebe-se o comportamento rebelde e agressivo. O que veio confirmar-se com as agressões e conflitos em que se envolveu. Foi expulso da polícia. A mãe mostra-se triste. Mas em torno dela gira a polêmica sobre como a namorada devia proceder no caso de ele ter problemas com drogas. A demora no socorro dificultou o salvamento.
Marcelo não soube lidar com a fama que veio com o casamento com uma "estrela" e seu envolvimento com drogas era bem complicado, como se pôde ver. A mãe chora a morte do filho e deve se perguntar o que fez de errado.
Assim como Ana Maria Braga depois deve estar se perguntando porque não ficou calada ao invés de ter dito tantas coisas dele e para ele em seu programa. Depois de saber da morte disse que estava rezando por ele. Ah! O arrependimento de não ter se contido! Talvez ele devesse ter ouvido isso de alguém. Talvez alguém devesse ter falado a ele que o que ele fez não estava correto e ele estava se comportanto como um cafajeste. Mas não em cadeia nacional. Porque ninguém é o dono da verdade.
Ele devia ter ouvido isso da mãe, de um irmão, de um amigo. A mãe diz que vai processá-la pelas ofensas que acabaram levando o filho a uma depressão e depois a morte.

quinta-feira, dezembro 11, 2008

Prêmio Esso de Jornalismo

O 53º Prêmio Esso de jornalismo teve como vencedora a repórter Elvira Lobato. A noite de premiação foi na terça-feira, dia 9, e entregou o prêmio a repórter da Folha de São Paulo pela série de reportagens "Universal chega aos 30 anos com império empresarial". A Jornalista sofreu vários processos por causa deste trabalho e disse ter recebido o prêmio como um desagravo.
Mas o que achei mais interessante foi o prêmio de distinção para melhor contribuição à imprensa, que foi dado ao projeto Diário em Braille, do jornal Diário de Pernambuco, que publica alguns exemplares de suas edições em braille e doa a instituições de apoio a deficientes visuais.
Não pela contribuição exclusiva à imprensa, mas pela contribuição na vida destes deficientes visuais. O jornalismo deve ter alguma contribuição social além de enriquecer o donos das empresas jornalísticas. Projetos como este demonstram que, talvez, nem tudo esteja perdido. Veja os outros vencedores aqui na coluna Jornalistas & Cia, do jornalista Eduardo Ribeiro.

quarta-feira, dezembro 10, 2008

Atendimento ao consumidor

Uma nova lei obriga as empresas a atenderem os consumidores com atendentes em seu SAC ao invés das insuportáveis gravações que dizem os números que devem ser teclados de acordo com o serviço que se pretende. A lei tem um bom objetivo. Mas ser atendido por máquinas é tão bizarro quanto ouvir um "alô, pois não em que posso servir" das atendentes de telemarketing que também parecem máquinas, pois apenas repetem inúmeras vezes a mesma lenga-lenga. Elas não tem poder de resolver nada, não há autonomia delas.
Mas nós vivemos num país em que o dia do consumidor é dividido com o dia do palhaço, enfim... qualquer semelhança entre um e outro é mera coincidência.
Enquanto o governo quer punir as empresas que não prestam um bom serviço de atendimento ao consumidor, ele próprio peca no mesmo caso. As linhas de 0800 do governo são um caos, sempre ocupadas, dificuldade em atendimento, entre outros inúmeros problemas. A vantagem é que ainda não se paga a ligação, coisa que acontece em algumas empresas, como alguns bancos privados, onde a linha de atendimento ao cliente é um 0300 ou 0400.

Filantropia um tanto nojenta

Concordo que é por uma boa causa, mas não deixa de ser meio nojento pagar para ter em casa um chiclete mastigado por Cauã Reymond. Eu não pagaria nem um centavo, mesmo existindo por trás uma causa nobre. Justamente porque tem também a causa capitalista da empresa de gomas de mascar, que utiliza o leilão para divulgar a maior duração do sabor do produto.
Foi gravado um vídeo com o ator mascando o chiclete por 15 minutos e pode ser assistido no Youtube, claro.
O "souvenir" foi arrematado por R$ 350,00 e beneficiará a ONG Dentista do Bem. Estranho isso, pois os dentistas que consultava quando criança sempre diziam pra não mascar chicletes. Se bem que Trident não tem açúcar.
A causa é nobre, mas chiclete mascado não dá. Como disse o Wilker, na pele de Roque Santeiro, ao Toninho Jiló que queria vender relíquias de Roque Santeiro ao próprio Roque sem saber, "se fosse a cueca eu comprava".

segunda-feira, dezembro 01, 2008

Farra de policiais

Eu não tenho lido muito jornal, na verdade quando trabalhava no jornal lia menos ainda. Estava cheia de coisas para ler e estudar, e ainda estou, mas procurando um assunto no jornal me deparei com várias fotos de policiais e moças com o rosto quadriculado e a chamada, "Farra de policiais". Fui obrigada a ler a matéria. Os vizinhos da casa onde ocorria a farra haviam feito uma queixa e os brigadianos foram chamados para solicitar que fosse baixado o som da festa.
Ao invés de diminuir o barulho os policiais entraram para curtir a festinha, pois segundo está na matéria um deles era conhecido da aniversariante. As meninas tiraram várias fotos com a boina de serviço do brigada e com as algemas. Os policiais foram flagrados, ou como diriam em revistas de fofocas, clicados com uma garrafa de cerveja e bebendo, além de posar para fotos com as moçoilas. Isto tudo em pleno horário de serviço.
Não existe mais aqueles policiais como os dos filmes que dizem, "não posso beber estou de serviço!". É claro que as fotinhos foram para o orkut das meninas e o vídeo para o Youtube.

Anônimo

Recebi por email um texto emocionante. Não se tratava de uma corrente, tão pouco de uma daquelas mensagens em ppt, cheia de fotinhos bonitinhas, que eu adoro e compartilho apenas com os amigos, que sei também gostam deste tipo de mensagem. Quem me passou foi minha cunhada Suéllen, que nunca me escreve. O texto não tem assinatura, portanto não sei quem o escreveu, mas, mesmo assim, deixo claro que não sou eu a autora. É uma leitura um pouco longa, e talvez alguns não gostem do tom espiritualista que há nela. No entanto, ainda que não acreditemos em nada o ocorrido em Santa Catarina é uma lição. Uma lição de que devemos preservar a natureza, de que devemos ser solidários com os outros, enfim, inúmeras são as lições, resta a cada um de nós avaliarmos por nós mesmos e tirar as que nos servem.

O sol brilhou!

Hoje 27 de novembro de 2008 o sol saiu e conseguimos voltar a trabalhar.
A despeito de brincadeiras e comentários espirituosos normais sobre
esta "folga forçada" a verdade é que nunca me senti tão feliz de voltar
ao trabalho. Não somente pelo trabalho, pela instituição e pela própria
tranqüilidade de ter aonde ganhar o pão, mas também por ser um sinal de que
a vida está voltando ao normal aqui na nossa Itajaí.
As fotos que circulam na internet e os telejornais já nos dão as imagens
claras de tudo que aconteceu então não vou me estender narrando e
descrevendo as cenas vistas nestes dias. Todos vocês já sabem de cor. Eu
quero mesmo é falar sobre lições aprendidas.
Por mais que teorias e leituras mil nos falem sobre isso ainda é
surpreendente presenciar como uma tragédia desse porte pode fazer aflorar no
ser humano os sentimentos mais nobres e os seus instintos mais primitivos.
As cenas e situações vividas neste final de semana prolongado em Itajaí nos
fizeram chorar de alegria, raiva, tristeza e impotência. Fizeram-nos perder
a fé no ser humano num segundo, para recuperar-la no seguinte. Fez-nos ver
que sempre alguém se aproveitará da desgraça alheia, mas que também é mais
fácil começar de novo quando todos se dão as mãos.
Que aquela entidade superior que cada um acredita (Deus, Alá, Buda, GADU
etc.) e da forma que cada um a concebe tenha piedade daqueles:
- Que se aproveitaram a situação para fazer saques em Supermercados, levando
principalmente bebidas e cigarros
- Que saquearam uma farmácia levando medicamentos controlados, equipamentos
e cofres e destruindo os produtos de primeira necessidade que ficaram assim
como a estrutura física da mesma.
- Que pediam 5 reais por um litro de água mineral.
- Que chegaram a pedir 150 reais por um botijão de gás.
- Que foram pedir donativos de água e alimentos nas áreas secas pra vender
nas áreas alagadas.
- Que foram comer e pegar roupas nos centros de triagem mesmo não tendo suas
casas atingidas.
- Que esperaram as pessoas saírem das suas casas para roubarem o que
restava.
- Que fizeram pessoas dormir em telhados e lajes com frio e fome para não
ter suas casas saqueadas.
- Que não sentiram preocupação por ninguém, algo está errado em seu coração.
- Que simplesmente fizeram de conta que nada acontecia, por estarem em
áreas secas.

Da mesma forma, que essa mesma entidade superior abençoe:
- Aqueles que atenderam ao chamado das rádios e se apresentaram no domingo
no quartel dos bombeiros para ajudar de qualquer forma.
- Os bombeiros que tiveram paciência com a gente no quartel para nos
instruir e nos orientar nas atividades que devíamos desenvolver.
- A turma das lanchas, os donos das lanchinhas de pescarias de fim de semana
que rapidamente trouxeram seus barquinhos nas suas carretas e fizeram tanta
diferença.
- À equipe da lancha, gente sensacional que parecia que nos conhecíamos de
toda uma vida.
- Aos soldados do exército do Paraná e do Rio Grande do Sul..
- Aos bravos gaúchos, tantas vezes vitimas de nossas brincadeiras que
trouxeram caminhões e caminhões de mantimentos.
- Aos cadetes da Academia da Polícia Militar que ainda em formação se
portaram com veteranos.
- Aos Bombeiros e Policias locais que resgataram, cuidaram , orientaram e
auxiliaram de todas as formas, muitas vezes com as suas próprias casas
embaixo das águas.
- Aos Médicos Voluntários.
- Às enfermeiras Voluntárias.
- Aos bombeiros do Paraná que trabalharam ombro a ombro com os nossos.
- Aos Helicópteros da Aeronáutica e Exercito que fizeram os resgates nos
locais de difícil acesso.
- Aos incansáveis do SAMU e das ambulâncias em geral, que não tiveram
tempo nem pra respirar.
- Ao pessoal do Helicóptero da Polícia Militar de São Paulo, que mostrou que
longo é o braço da solidariedade.
- Ao pessoal das rádios que manteve a população informada e manteve a
esperança de quem estava isolado em casa.
- Aos estudantes que emprestaram seus físicos para carregar e descarregar
caminhões nos centros de triagem.
- Às pessoas que cozinharam para milhares de estranhos.
- Ao empresário que não se identificou e entregou mais de mil marmitex no
centro de triagem.
- A todos que doaram nem que seja uma peça de roupa.
- A todos que serviram nem que seja um copo de água a quem precisou.
- A todos que oraram por todos.
- Ao Brasil todo, que chorou nossos mortos e nossas perdas.
- Aos novos amigos que fiz no centro de triagem, na segunda-feira.
- A todos aqueles que me ligaram preocupados com a gente.
- A todos aqueles que ainda se preocupam por alguém.
- A todos aqueles que fizeram algo, mas eu não soube ou esqueci.

Há alguns anos, numa grande enchente na Argentina um anônimo escreveu isto:

COMEÇAR DE NOVO
Eu tinha medo da escuridão
Até que as noites se fizeram longas e sem luz

Eu não resistia ao frio facilmente
Até passar a noite molhado numa laje

Eu tinha medo dos mortos
Até ter que dormir num cemitério

Eu tinha rejeição por quem era de Buenos Aires
Até que me deram abrigo e alimento

Eu tinha aversão a Judeus
Até darem remédios aos meus filhos

Eu adorava exibir a minha nova jaqueta
Até dar ela a um garoto com hipotermia

Eu escolhia cuidadosamente a minha comida
Até que tive fome

Eu desconfiava da pele escura
Até que um braço forte me tirou da água

Eu achava que tinha visto muita coisa
Até ver meu povo perambulando sem rumo pelas ruas

Eu não gostava do cachorro do meu vizinho
Até naquela noite eu o ouvir ganir até se afogar

Eu não lembrava os idosos
Até participar dos resgates

Eu não sabia cozinhar
Até ter na minha frente uma panela com arroz e crianças com fome

Eu achava que a minha casa era mais importante que as outras
Até ver todas cobertas pelas águas

Eu tinha orgulho do meu nome e sobrenome
Até a gente se tornar todos seres anônimos

Eu não ouvia rádio
Até ser ela que manteve a minha energia

Eu criticava a bagunça dos estudantes
Até que eles, às centenas, me estenderam suas mãos solidárias

Eu tinha segurança absoluta de como seriam meus próximos anos
Agora nem tanto

Eu vivia numa comunidade com uma classe política
Mas agora espero que a correnteza tenha levado embora

Eu não lembrava o nome de todos os estados
Agora guardo cada um no coração

Eu não tinha boa memória

Talvez por isso eu não lembre de todo mundo
Mas terei mesmo assim o que me resta de vida para agradecer a todos

Eu não te conhecia
Agora você é meu irmão

Tínhamos um rio
Agora somos parte dele

É de manhã, já saiu o sol e não faz tanto frio
Graças a Deus

Vamos começar de novo.
(Anônimo)


É hora de recomeçar, e talvez seja hora de recomeçar não só materialmente.
Talvez seja uma boa oportunidade de renascer, de se reinventar e de
crescer como ser humano.
Pelo menos é a minha hora, acredito.
Que Deus abençoe a todos. (autor desconhecido, pelo menos de mim)

Descaso da população

Após os acontecimentos trágicos em Santa Catarina, que contabilizam mais de cem mortos, vários desaparecidos e centenas de desabrigados, cabe falarmos em cuidados com o meio ambiente. Falar e agir muito mais do que ocorre hoje. É sabido que o desmatamento, as queimadas e o lixo que se acumula nas grandes cidades são causas de desastres ambientais. Aqui em Pelotas não temos morros para desabar, mas temos muitas águas que podem subir e invadir casas. Já aconteceu antes. As enchentes podem ocorrer, como foi o caso em anos anteriores pela falta de vazão da água ou por uma bomba queimada. E, pode também ir a acontecer por conta das incontáveis garrafas jogadas no esgoto, dos sacos e sacolas plásticas que "inundam" e imundicíam os canais que cercam a cidade.
Não há desculpas para o descaso e o relaxo da população em jogar o lixo em locais inadequados. Não aceito desculpa alguma porque acontece recolhimento de lixo na cidade. É uma questão de educação, de preocupação com um lugar que é nosso. Além disso, em caso de desastre ecológico ou enchente sabemos bem quem são os prejudicados.
Vamos abrir os olhos!

Abuso

A muito que vem se debatendo a posição da televisão frente a situações de extrema polêmica. É claro que isto não fica só na televisão, isso vale para a imprensa de modo geral. As questões éticas por vezes passam longe das redações dos jornais, que preferem divulgar uma notícia superficial e mal apurada a perder o furo de reportagem para algum concorrente. É nesse afã que muitas informações erradas são passadas pelo público, pois ainda vale aquele dito popular de que "quem conta um conto, aumenta um ponto". Foi assim no caso da Escola Base lá em São Paulo e é assim em qualquer crime que esteja sendo investigado ou que tenha acontecido. A imprensa tá lá mostrando minuto a minuto todos os acontecimentos do fato e dando munição ao criminoso para se safar. Um dos casos mais recentes foi o seqüestro em Santo André, onde o criminoso deu várias entrevistas a emissoras de rádio e televisão durante o tempo em que mantinha suas vítimas em cárcere.
Esta não é a função do jornalista. Nunca foi e aproveitar-se de uma situação extrema para vender jornal e aumentar audiência também é um crime. Eu sou jornalista, cursei quatro anos de faculdade e trabalhei em jornal. Digo abertamente que me decepcionei com a maneira que o jornalismo é encarado hoje em dia. Não existe mais uma função social, pois o sensacionalismo tomou conta de tudo, são raros os noticiários que buscam apresentar uma informação bem trabalhada, investigada de forma verdadeira objetivando da elucidação dos fatos. Quando acontece uma tragédia, seja lá de que magnitude, apenas aquilo é noticiado, e as imagens são as mesmas em todas as emissoras, o enfoque informativo é o mesmo e as entrevistas não passam de um cutucão na ferida abertas das vítimas que não sabem o que dizer, porque a dor é imensa. Mas o repórter tá lá enfiando o microfone na cara das pessoas, sem pensar em nem por um momento na fragilidade daquela criatura que pode ter perdido tudo ou que ainda não tomou conhecimento do tamanho do problema que está enfrentando.
Tenho consciência de que o jornalismo que gostaria de fazer não é prática em jornal algum. Minha maneira de ver as coisas e de querer passá-las é romântica, ocupa espaço e pode não fazer com que os jornais sejam comprados. Até porque esta maneira de trabalhar a informação requer tempo para ouvir todos os lados do mesmo fato, precisa de interesse pelas coisas que envolvem aquele acontecimento e muitas vezes pesquisa para uma comparação e o jornal tem que ser fechado hoje, o site tem que ser atualizado agora, a notícia tem que ir ao ar daqui a meia hora.
No entanto, mesmo trabalhando na correria, fazendo entrevistas pelo telefone e escrevendo dez matérias por edição de jornal dá para atuar de forma coerente e ética no jornalismo, basta querer. Basta que se tenha ética na vida.
Dos livros que li na faculdade o que considero como mais importante na minha formação é A Regra do jogo, do jornalista Cláudio Abramo. Naquelas páginas está demonstrada que não existe a ética do jornalista, mas a ética do marceneiro. É como ter caráter. Caráter todos tem, o que difere é que uns são mau caráter e outros são bons. Abramo diz em seu livro que é uma ética apenas que existe, não dá para eu pensar e agir com uma ética na minha vida profissional e na minha vida familiar e social de outra. Ou sou ética nas duas ou em nenhuma.
Porque comecei a falar sobre tudo isto, depois de ler a notícia de que o Ministério Público pede uma indenização de R$1,5 milhão a RedeTV, através de ação civil pública pela entrevista divulgada no programa da apresentadora Sônia Abraão, A Tarde é sua. Foram exibidas duas entrevistas com Lindenberg e a ex-0namorada Eloá. A primeira entrevista foi ao vivo, durante o cárcere e a segunda foi gravada. O MP considera que a atitude atrapalhou a ação policial. O que é criticado por muitas pessoas pois o que se percebeu foi que o bandido monitorava a atuação da polícia pelas notícias da tevê.

Dia Mundial de Luta contra a Aids

Dia 1º de Dezembro é dedicado ao combate a Aids, uma doença infecto-contagiosa que ainda atinge muitas pessoas no nosso País. Embora sem cura o HIV, vírus da imunodeficiência adquirida, hoje as pesquisas permitem que o portador do vírus e mesmo o doente tenham uma melhor qualidade de vida. Mas prevenir ainda é tudo!
Comecei minha vida sexual num tempo em que a mais cruel doença venérea matava muitas pessoas e assustava o mundo. Um mundo cheio de preconceitos, que demorou muitos anos até perceber que esta doença não é um castigo contra homossexuais ou pessoas que optam pelo sexo livre e são taxadas de promiscuas. O HIV pode atingir qualquer pessoa, em qualquer idade.
Eu gostei muito da iniciativa do Ministério da Saúde de focar o pessoal que tá na casa dos enta. A propaganda da campanha é original e engraçada, coisa que fala direto ao pessoal interessado.
Vamos nos prevenir, para que um dia esta data seja do dia livre do HIV-Aids. E vamos deixar o preconceito de lado.

Vento

Na minha cidade faz dois meses, ou mais, de vento incessante. Voa tudo pela rua de sacolas plásticas a sacos e papéis jogados pelo chão. Outro dia quase cai observando uma pomba que tentava inutilmente voar contra o vento. Ao contrário da música do Caetano, para ela não teve sentido de liberdade mas de superação. Mas o vento foi mais forte e ela mudou a direção de seu vôo.
Hoje eu lembrei que minha mãe sempre dizia quando ficávamos em casa quando ela precisava sair fazer alguma coisa fora. Quando tinha vento e o tempo estava feio para chuva que nós não saíssemos pra o pátio, pois o vento poderia fazer voar as telhas e uma dela cair na nossas cabeças. E foi justo no momento em que pensei no que ela me dizia que quase fui acertada na cabeça por um pedaço de reboco que caiu do prédio do ICH. Sorte que essa passou de raspão.
Este período de vendaval, que sempre ocorre em Pelotas nessa época, é péssimo pois a poeira toma conta das casas. Bom mesmo só para secar as roupas, isto quando elas não se desprendem dos varais e saem planando pelo ar parando sabem lá Deus onde.
Enquanto o vento não dá trégua segue descabelando as pessoas, levantando as saias das moças, derrubando galhos, empinando pipas. Soprando forte e nos lembrando de que ele está lá e que se muitas das coisas não são mais como antigamente a culpa é nossa.

sexta-feira, novembro 28, 2008

Santa Catarina

Meu sonho é passar a velhice numa praia de Santa Catarina, numa casinha pequena, com um cachorro no pátio, fogão a lenha e lareira para o inverno. Confesso que não tenho feito muita coisa em prol deste sonho, mas, por enquanto tenho outras coisas para conquistar, superar, concluir.
É por isso que fiquei triste com o que aconteceu lá. Sou solidária as pessoas que perderam tudo, e também estive com o coração nas mãos por causa de familiares e amigos que moram por lá. Graças a Deus estão todos bem.
Mas mesmo com o alívio de saber que estão todos bem, fica o alerta para a fúria da natureza. É claro que não é uma resposta imediata, foram vários anos de desmatamento nas encostas dos morros, até que a chuva incessante acabou por levá-los abaixo. As vezes fico pensando se ainda tem tempo de salvar mesmo o planeta. Mas temos que tentar. Afinal como diz o dito popular, "se vamos morrer, vamos morrer tentando!"

Ônibus

Estamos todos muito contentes aqui em Pelotas com a possibilidade de aumentar a tarifa de ônibus. É ótimo acabar o ano com mais um ônus, e olha que o "novo" prefeito nem assumiu ainda.
Não bastasse isto os professores estaduais estão em greve. Uma greve justa até, mas que atrapalha os alunos. A governadora não sei dá alguma importância para isso, pois não aceita negociar. O bom é que primeiro ela cortou os dias de greve de todos os professores, inclusive dos não grevistas, depois fará uma folha complementar. Êta jeitinho novo de governar! Novíssimo!

segunda-feira, novembro 24, 2008

Colóquio de literatura

Vai acontecer nos dias 26, 27 e 28 de novembro, no CEFET, nos períodos da tarde e noite o I Colóquio Efemérides Literárias: Machado de Assis: Guimarães Rosa: Osman Lins. As inscrições estão abertas para comunicações até hoje, dia 24, com resumo. E para participar até o dia 26, quarta-feira, nos valores de 10 pila para estudantes e 20 pila para profissionais. Além de mesas redondas e sessões de comunicações tem palestras com Luís Augusto Fischer, Aldyr Garcia Schlee e o encerramento será com a palestrante professora Dra. Ermelinda Ferreira. Mais informações clic aqui

segunda-feira, outubro 27, 2008

Greve dos professores estaduais

Acredito que a base da mudança para o nosso país está na educação. É triste saber que não são muitos os políticos, seja lá de qual esfera de poder, que apostam suas fichas nesta idéia. Alguns chegam ao disparate de, no mesmo ano em que reajustam seus próprios salários, dizer que o aumento no piso salarial dos professores iria defasar a economia estadual. É "dona Yedinha", como tem sido chamada a bocas pequenas, não aceita nenhum tipo de proposta da classe. Aliás, estas negociações vêm sendo feitas desce o início do ano. Da parte do governo não é feita nenhuma prosposta que preste.
Como diria Cristovão Buarque, " o Brasil só será um país sério quando levar a sério a educação".
Apóio a greve dos professores. Acho que uma classe que rala tanto para se formar e corre os riscos a que está sujeito atualmente, sendo agredido em salas de aula, merece respeito.

Monteiro Lobato se ferrou!!!!!!

Eu bem que gostava do "sítio do pica-pau amarelo", minha personagem preferida era a Cuca, que sempre se dava mal e era meio marginalizada. Também sempre gostei do Saci. Acreditei, até algum tempo atrás, que o Monteiro Lobato era um cara legal, que escrevia coisas super interessantes para as crianças, um mundo maravilhoso no sítio da vovó, onde aventuras maravilhosas aconteciam. Sim, ele escreveu coisas ótimas para as crianças. E eu acreditei nisso tudo até a minha professora e orientadora ter nos dado um texto dele para trabalhar em aula.
Fiquei chocada e decepcionada com um Monteiro Lobato assumidamente racista.
Ontem o Martinho da Vila falou sobre isso no Domingo Espetacular, ele estava falando sobre a eleição do Barack Hussein Obama Junior. Mas o melhor foi ele ter dito que quando anunciaram que o Obama era o vencedor das eleições nos Estados Unidos ele, pensando no Monteiro Lobato, disse: "_ Se ferrôôôô!!!!"

Como é ruim a programação da televisão

O Ratinho sempre dizia que assistir ao programa dele era que "nem mortadela, todo mundo come, mas ninguém admite". Ele dizia isso porque todo o assunto que havia sido apresentado em seu programa vinha com o mesmo começo: "eu tava trocando de canal e aí vi no Ratinho..." Confesso que muitas vezes fui ver o que se passava por lá, qual era a baixaria da hora, estas coisas. Não porque estava trocando de canal, porque eu não utilizo as setinhos pra ficar zapeando pelo canais, vou direto nos números e clico no que quero. Faz tempo que o Ratinho anda sumido. Sobraram muitos programas de péssima qualidade, imitando as polêmicas, ridicularizando as pessoas e endeusando mulheres com atributos exuberantes. Eu sei, eu sei, desliga a televisão e vai ler um livro. Faço isso, assisto pouca tevê ultimamente, e quando assisto dou preferência a programas com algum fundamento, isto quer dizer: não assisto os telejornais da globo, também não vejo a novela das oito, e eu gosto bastante de novelas; o fantástico devia mudar o nome para ridículo, pois não dá uma reportagem que preste e quando o tema é interessante o tempo é tão limitado que sempre fico com a impressão de que faltou alguma coisa. Nas outras redes dou preferência aos jornais da band, do sbt e da record. Os programas sobre atualidades têm sido interessantes, com uma visão diferente do habitual, mas as telenovelas continuam fraquinhas.
Mas me recuso terminantemente a olhar por cinco minutos sequer os programas da rede tv. É impossível assitir aquele tal de super pop. E até o programa da Olga Bongiovani, de quem eu gostava tanto, é uma droga.
Falando nisso, havia tantos programas bons de culinária e artesanato; agora os programas se resumiram a besteiros, concursos de beleza e abobrinhas osbre as celebridades. Sim, eu tenho um lado mulhérzinha bem controlado, mas ele existe; e justamente por ser mulhérzinha é exigente. Na rede record, que estava "dando de relho" nas outras no quesito programas de variedades, perdeu completamente o sentido, com dois chefs de cozinha maravilhosos como o Edu Guedes e o Olivie, ficam repetindo o programa da Eliana, mostrando pegadinhas e concursosde beleza. Por favor, pra que desperdiçar os talentos que tem!
O programa da Ana Maria Braga é uma boa bosta. Depois que ela saiu do note e anote nunca mais prestou.
Enfim... toda esta conversa é pra dizer o quão chocada eu fiquei outro dia quando propositalmente fui bisbilhotar o superpop. Na verdade fiquei perplexa, primeiro por ver o Sergio Malandro cantando, desde que ele apareceu como palhaço sem graça que é, lembro de apenas um sucesso, aquele "conheci um capeta em forma de guri". Mas hoje em dia qualquer um grava cd, canta e faz show, e o pior, faz sucesso. Estava ele no palco da Luciana Gimenez cantando a "dança do jumento", com uma loirosa de microminisaia e um jumento. A Luciana fazia uma péssima expressão de "meu Deus como podem cantar isso!". E eu troquei de canal ligeirinho, vai que isto pega.

Deu Obama nos "esteites"

Não vou dizer que fiquei feliz com o resultado das eleições americanas, porque na verdade, não sou do tipo que vivo com o olho lá. Mas sei sim a importância deste fato para o mundo sim. Sou crítica, não gosto muito de americanos, principalmente em questões que envolvam dinheiro e guerras. No entanto, a eleição de um negro como presidente é um grande fato histórico sim. E, admiro o fato de Barack Obama não ter utilizado a diferença da cor da sua pele como mote de campanha, muitos não deixariam esta chance passar, o que, pra mim, demonstra o tão repreendido preconceito.
Só que os americanos são tradicionais, e uma mudança como esta não poderia vir com outras tantas mudanças polêmicas a reboque, como o casamento gay ou a liberação do uso da maconha para tratamento medicinal. Parece que alguns preconceitos são mais enraizado do que outros.

Esqueci

Esqueci de dizer no post anterior que, além da preocupação em relação em que tipo de homem os americanos colocarão como presidente, tenho um dúvida muito grande em relação a democracia americana. Sim, porque não é possível que se impessa centenas de eleitores de votar, como aconteceu na reeleição de Bush. E prova disso é que algumas máquinas de votação estavam invertendo os votos, ao clicar no candidato o voto automaticamente ia para o adversário. Agora é esperar que les contem os votos.
Na última notícia que vi ontem a noite, lá pelas duas da manhã Obama estava com 207 delegados, contra 135 de McCain. O que dá medo é saber que sempre tem recontagem de votos e foi nessa que o Al Gore dançou.
Vamos esperar!

Obama e McCain

O que me preocupa nas eleições americanas é a possibilidade de que eles coloquem na Casa Branca um outro Busch. Eu não entendo nada de economia e tampouco sei quem são os candidatos a presidência lá da terra do Tio Sam. Mas como disse, o que me deixa em pânico é que eles elejam novamente um celerado, que só quer fazer guerras.
O mais legal de tudo é que saberemos tudo sobre a eleição, pois todos os telejornais brasileiros enviaram repórteres para fazer a cobertura do dia que poderá entrar pra história, caso as pesquisas se confirmem e Barak Obama seja eleito. Nesta hipótese ele será o primeiro negro que assumirá a presidência dos Estados Unidos. Aliás, já não era sem tempo, pois eles são "tãão desenvolvidos"! Na ficção já existiram presidentes negros, pelo menos na série 24 horas e o Jack teve que salvar ele várias vezes, primeiro como senador, depois como presidente por aí vai. Sabe como é, todo mundo quer tomar conta do mundo, até os extraterrestres, só esqueceram de dizer aos americanos que o mundo vai além da terrinha deles.

Maradona

Então o Maradona, Dom Diego ou Dieguito, como o chamam os fãs, agora é o técnico da seleção Argentina. Reconheço que ele teve um passado de glórias no futebol, intercalado por momentos de muita controvérsia e problemas de drogadição e violência. Penso em como será sua atuação na seleção tendo sido ele um jogador tão polêmico? Aliás, ele já começou causando uma ao falar do estilo do atual técnico da nossa equipe de futebol. Destaco que como jogador o Dunga era muito melhor, um ótimo capitão e um zagueiro de primeira. Mas não se pode deixar de dizer que contra os hermanos, tanto argentinos quanto uruguais, os atletas de outras seleções devem sim utilizar a força junto com o drible, afinal eles batem muito mais.

É proibido fazer greve

O governo do estado do Rio Grande do Sul, na pessoa da governadora Yeda Crusius (PSDB) assinou um decretoque pune greve dos servidores públicos estaduais com o corte dos salários. Uma medida bem com a cara da governadora, que demonstra sem extremamente autoritária. A ironia da atitude tomada por Yeda é de ter assinado o decreto no dia do funcionário público, 28 de outubro.
Depois de ter recebido professores com o braço forte e a truculência da Brigada Militar em manifestações em frente ao Palácio Piratini e na Marcha dos Sem, no desacordo em relação aos reajustes saláriais dos trabalhadores estaduais, agora a atitude de cortar os salários em caso de greve.
Realmente dona Yeda este é um jeito bem novinho de governar. Parece muito com aquelas atitudes tomadas durante a ditadura militar, que era um período em que ninguém podia discordar do governo e o que o ditador dizia era lei. alguém devia dizer a governadora que este tempo já passou e que se ela realmente queria que seu governo fosse diferente a Secretaria de Transparência deveria ter sido a primeira a funcionar bem. Também deviam ter dito a ela que aplicação de dinheiro público em coisas particulares, como no caso da LIC, é crime de corrupção. Que liberar veículos que não tem a menor condição de ficar parado na rua para circular e transportar passageiros é crime. Que utilizar dinheiro das sobras de campanha para comprar bens particulares é enriquecimento ilícito e também é crime.
E depois de tudo isto, devemos lembrá-la que campanha eleitoral também consiste em propaganda, é a propaganda eleitoral. Mas o mais importante é que propaganda enganosa também é crime.

Deu situação

Não sei e quero falar sobre as eleições municipais. Fiquei chocada com o comportamento de Marta Suplicy, em relação a solteirice de Kassab, absurdo isto. Decepcionei-me barbaramente com a união de Manoela D'ávila do PCdoB com o PSDB em Porto Alegre e fiquei feliz de ela não ter ido para o segundo turno. E fiquei muito triste com as uniões espúrias em Pelotas, falando por alto das maiores decepções pra mim.
Por aqui a população preferiu manter o prefeito Fetter Junior. Não era a minha opção. É claro, que quem me conhece sabe que minha tendência é pra esquerda. Mas também não estava muito contente com o candidato Marroni. Eu respeitava a política do Partido Verde, até que a ele se filiou o Cururu e, pra completar minha desilusão, no segundo turno apoiou o candidato do PP, Fetter Junior.
Todas estas alianças espúrias, baseadas em barganhas de cargos me deixam com nojo dessa política que se apresenta atualmente. Mas devemos ter consciência de que não é ela a impura, mas os homens que dela fazem parte.
È realmente uma pena não termos homens fiéis aos seus ideiais. Por isso vamos sempre votando naqueles menos piores.

quarta-feira, outubro 15, 2008

Política promíscua

Muita gente diz que não gosta de política. Eu, ao contrário destas pessoas, gosto, tanto que chego a estudar fatos da história e é justamente observando estes fatos que percebo que realmente a política perdeu sua essência. Sim, sempre aconteceram fatos desagradáveis em relação aos homens públicos, corrupção, negociatas, conchavos. Mas a coisa era muita mais definida. Quando o Ivan Duarte diz: "pela esquerda companheiros, coerência, coerência, coerência" está demonstrando verbalmente o que estou lhes dizendo. Não há mais direita e esquerda. Os partidos políticos rigorosamente esquerdistas e extremistas em sua ideologia, hoje não passam de meros negociadores de cargos de "puder".
Façamos uma breve observação: PMDB, antigo Movimento Democrático Brasileiro, lutou contra a ditadura militar, encabeçou a luta pelas diretas, anistia e assembléia nacional constituinte. Era a única oposição legalmente reconhecida pelos milicos que o país teve durante 20 anos de regime ditatorial. Após a reforma partidária acrescentou o Pê de Partido ao antigo nome e parece que com isto perdeu sua característica de oposição. Recebeu como membro o senhor José Sarney, que veio a ser o primeiro presidente civil pela impossibilidade do candidato a presidente, Tancredo Neves que morreu antes de assumir o cargo. O detalhe é que Sarney era presidente da Arena, partido que apoiava aertamente a ditadura. Até hoje este senhor faz parte das esferas do "puder", não se houve negociação de partidos sem ouvir seu nome ou a citação do seu partido.
ARENA (Aliança Nacional Renovadora), esta declarou seu apoio ao regime de exceção. Seus políticos eram membros das altas rodas do poder desde o regime militar. Mas o PMDB também, mesmo antes do golpe Tancredo Neves já freqüentava a residências dos presidentes, tanto que agiu ativamente durante o governo do também ditador Getúlio Vargas. Observando ambos no período de 20 anos em que durou a ditadura militar eles parecem bem distantes, mas... sua essência é praticamente a mesma quando se disseca. Depois da reforma partidaária virou PDS, daí o Tancredo que era do MDB filiou-se a ele.
PC do B e PCB - ambos ilegais segundo o regime ditatorial. Ou melhor, segundo todos os regimes ditatoriais. A ameaça comunista ia muito além da velha história de "comer criancinhas", suas ações encantavam jovens que buscava um mundo melhor. E a possibilidade de retirar o poder dos velhos aristocratas jamais poderia vir a acontecer, pois, defendiam os políticos tradicionais, o mundo viraria um caos vermelho. Mesmo postos na ilegalidade os comunistas e socialistas não desestiram de lutar, defenderam o país do golpe que se instalou em 1964. Alguns membros dos partidos comunistas lutaram com as mesmas armas, algumas literalmente, dos milicos. A guerrilha armada não foi um ataque, foi sim uma defesa.
PTB - Partido Trabalhista Brasileiro, fundado pelo ex-presidente Getúlio Vargas também foi "encerrado" durante a ditadura, sendo reativado por Ivete Vargas, logo após a instalação do multipartidarismo. O PTB foi alvo de disputa entre Ivete e Brizola, ambos herdeiros da política getulista, mas a sigla ficou com ela obrigando Leonel Brizola a fundar um novo partido com seus correligionários, surge então o PDT - Partido Democrático Trabalhista.
Nasce também neste período o PT - Partido dos Trabalhadores, fundado por sindicalistas do ABC paulista, entre eles o atual presidente Luis Inácio da Silva. Na época os jornais colocavam o nome do presidente do sindicato dos metalúrgicos seguidos de; o Lula.
Com este breve e curtíssimo histórico, pois faltam muitos partidos como o PFL de ACM, entre outros, observamos que a maioria dos partidos surgidos após o regime militar eram de oposição. Obviamente bem demarcadas as características e as ideologias de cada um. Agora observe os homens que fazem parte do governo Lula, pense em seus nomes, em que lugar estavam durante a ditadura militar, e quais são os seus partidos. Todos os partidos vendem seus apoios por cargos. E mesmo assim tem cara de pau suficiente para atacar o outro durante as campanhas eleitorais.
Aqui em Pelotas, enquanto o PT de Marroni, coligado com o PSB, PC do B, tem o apoio de Anselmo Rodrigues do PDT, mas parte do partido apoia o candidato Fetter Júnior, do PP, coligado com o PTB e o PPS. O atual prefeito e candidato também recebeu o apoio do PV, do PSDB, PMDB, sendo este coligado com o PT no governo federal.
É uma promiscuidade tão grande, que causa confusão nos mais atentos.
Então eu pergunto cadê a essência destes partidos? Como é que o Partido Verde, do Fernando Gabeira ex-preso político, exilado pode apoiar um candidato do PP, ex-PDS, ex-arena que apoiava o regime militar? Não faz sentido nenhum. A política é feita de homens e sabemos que muitos dos eleitores vota na pessoa e não no partido, mas uma agremiação política deveria, pelo menos, ser fiel a sua ideologia, se é que alguma, além do PSol, ainda tem.
É por estas e outras que eu realmente ainda estou pensando se vou votar em branco ou se vou dar meu voto a algum destes candidatos. Tá certo que nenhum deles deve se negar a receber apoio. Mas sejamos francos, se ideais tão distantes se juntam numa mesma campanha depois de se digladiar escancaradamente no primeiro turno não é por afinidade de opiniões ou pelo bem da comunidade e sim pelo intere$$e$ que envolvem a política e este poder que ela tem.

Final de semana

Cada crime que ocorre no país a imprensa fica em cima levando segundo a segundo tudo que ocorre no local do crime. Isto possibilita que você, do conforto do seu lar, saiba tudo o que está ocorrendo em são Paulo, Rio de Janeiro ou sei lá, cacimbinhas, queira ou não queira, pois todas as emissoras passam a mesma coisa, inclusive, muitas vezes, dizendo que são imagens exclusivas, mas, ao mudar de canal se vê a mesma imagem do canal anterior e por aí vai.
Então semana passada um rapaz de 22 anos invadiu a casa da ex-namorada e a fez refém junto com alguns amigos. Foram cerca de cem horas de seqüestro e acabou que ambas as vítimas, duas meninas de 15 anos, foram feridas.O criminoso está recolhido, seu advogado abandonou a causa após ele descumprir o acordo de livrar as reféns.
A ex-namorada morreu. Quando as moças foram feridas e o crimonoso preso criou-se a polêmica, preservaram a integridade física do bandido e esqueceram das reféns. Alguns dizem que não podiam esquecer que o rapaz era trabalhador, sem antecedentes criminais e etc. e que foi por isso que não se utilizaram dos atiradores de elite que estavam a menos de 10 metros do apartamento. Também queriam evitar o falatório e os problemas com os direitos humanos.
O caso é cheio de polêmicas, uma das gurias foi solta e depois voltou para o cativeiro de onde só saiu ferida para o hospital, os representantes do juizado de menores dizem que a polícia agiu errado permitindo isso. A polícia se defende dizendo que não permitiu e ela voltou ao cativeiro sem permissão. O público que assistia estarrecido critica a polícia por não ter preservado a integridade física das vítimas.
Acredito que com atiradores de elite, nos momentos em que o rapaz apareceu a janela podiam ter evitado tudo isso. Sendo os atiradores preparados é possível que ele poderia ter saido ferido, mas vivo, assim como ambas as garotas. Mas o desfecho foi outro e mais uma vez a polícia acabou ficando como vilã na história.

Crise

Não vou me estender muito, até porque acho que o post sobre anistia é mais interessante. Mas a questão da crise dos Estados Unidos tá me irritando. Não porque eu tenha ações na bolsa ou investimentos que possam ser afetados, pelo contrário, minha bolsa está um caco e a única coisa na qual tenho investido ultimamente é no meu artigo de conclusão da especialização.
O que me irrita é as pessoas estarem estarrecidas com o fato de a economia do Tio Sam estar um caos. Mas só eles não sabiam que o Bush filho é um péssimo administrador. Michael Moore avisou em seus livros e até nos filmes que ele, o Bush filho tinha falido duas empresas suas. Depois teve uma sociedade com... hummm... me parece com alguém de sobrenome Bin Laden. Vai ver que o que ocorreu no 11 de setembro nada tem a ver com terrorismo e sim alguma vingança do Osama contra o mau administrador Bush. Que além de não ter cuidado bem da economia do país dele investiu altas somas em dinheiro e de vidas humanas numa guerra sem fim contra o Iraque. E eles, os americanos, acreditavam tanto na "cruzada Bush contra o mal que vinha do oriente médio" que o reelegeu. Graças a God ele não pôde ser candidato novamente. Vai embora da casa Branca, mas deixa péssimas heranças para o próximo presidente uma crise financeira para administrar que afeta todo o mundo e uma guerra sem fim, que só Ele, Deus, sabe quando vai acabar e que nós sabemos muito bem que não era para libertar o Iraque do jugo de Saddam Hussein.

Taí, eu queria ter escrito isso.

Tam alguns textos, livros, músicas que eu gostaria de ter escrito. Como não escrevi me contento em lê-los e compartilhar. Este aqui, por exemplo é um deles.

Anistia à Brizola

É legal quando estamos pesquisando um tema e este, embora do passado, vire e mexa volte a surgir. Com a anistia é assim. Deste o início, na criação do projeto começaram as polêmicas: primeiro porque o governo militar queria uma anistia controlada, sem chances para terroristas, subversivos que tivessem se envolvido em “crimes de sangue”, como se referiam, ou crimes comuns, como os assaltos e seqüestros. A oposição por seu lado queria uma anistia ampla que abrangesse todos os crimes políticos e coligados, incluindo assim os tais “crimes de sangue”. O ministro da Justiça na época, Petrônio Portella com o auxílio do presidente João Baptista Figueiredo, redigiu o projeto que vou votado e aprovado. Um pouco antes disso, pois o projeto de anistia foi aprovado em 26 de agosto de 1979, banidos e exilados começaram a regressar ao país, é claro que precisavam se apresentar a Polícia, eram chamados para prestar depoimentos entre outras coisas, mas já podiam pisar no Brasil, rever familiares e amigos.
Como a anistia controlada dava benefício para os “torturadores” e não para os “terroristas” acontece nova queda de braço, que se estende até hoje sendo que o atual ministro da Justiça Tarso Genro queria retirar o direito dos “torturados”.
A questão mais polêmica, pra mim, é em relação aos altos valores pagos aos anistiados. As indenizações têm valores exorbitantes. É claro que nenhum dinheiro irá pagar os horrores ocorridos nos porões da ditadura. É sabido que grana nenhuma irá apagar os traumas tampouco as mortes e desaparecimentos. Mas fazer destes valores um prêmio pra quem suportou não é correto. A guerrilha, os seqüestros e as mortes que ocorreram por parte dos guerrilheiros, e temos que admitir que eles também mataram e talvez tenham sido tão cruéis quanto os militares torturadores, ocorreram em resposta do estado autoritário em que se vivia. E também é sabido que violência só gera mais violência. Vieram exílios, banimentos, desaparecimentos, torturas e até atentados a bomba, que os militares tentaram dizer que não havia partido da direita, mas que foram provados como atentados da direita.
A mais recente notícia que temos sobre o tema é a aprovação da anistia a Leonel Brizola, que esteve exilado por 15 anos, até a aprovação da Lei da Anistia. Brizola voltou ao Brasil no dia 06 de setembro de 1979. Foi recebido por correligionários, políticos e amigos. Teve um grande histórico na vida política, com feitos memoráveis como o movimento da Legalidade, entre outros. Concorreu à presidência do país mais de uma vez e só teve sua anistia aprovada quatro anos após sua morte. E entre todos estes fatos o que me chamou atenção foi o de sua companheira não querer receber a indenização.

terça-feira, outubro 07, 2008

Congresso estuda Projeto para revogação da Lei de Imprensa

Por um lado acho bem apropriado atualizar uma Lei antiga que teve vários artigos suspensos pelo Supremo. Agora, vamos ver como será? leia aqui no Comunique-se e veja a íntegra do projeto.

13 a 11.

Depois da ressaca eleitoral, de toda a campanha do primeiro turno e o final da votação voltamos a vida "quase" normal. Os candidatos que ficaram para o 2º turno, aqui em Pelotas Marroni do PT e o atual prefeito Fetter Junior do PP, já estão buscando coligações e apoios para a próxima fase da eleição. Estes são os que ficaram, respectivamente, em primeiro e segundo lugar na votação de cinco de outubro. O terceiro lugar demonstra o interesse da população pelotense na mudança. Não seria uma mudança de peso, pois sairiam os partidos que estão para entrar o Democratas, ex-PFL, nada de tão novo assim, pois já foram situação e tem o ranço de ser o partido que o ACM deixou de herança. Alguns dirão que é pena que Antonio Carlos Magalhães não tenha deixado como herança para seus familiares, além do interesse pela política, seu carisma. Eu digo que não acho isso de todo ruim, pois a arrogância do "Aceeminho" não permite confiança. Mas Mateo Chiarelli e Fabricio Matielo não entraram na disputa para o próximo turno das eleições. Pela lógica partidário-idológica, imagino que irão apoiar, se forem apoiar alguém, ao atual prefeito Fetter Júnior. Mas, como a política brasileira tem apresentado-se tão ilógica talvez esta seja uma previsão furada.
O que me chocou foi que a Câmara Municipal praticamente não mudou. Dos 15 vereadores eleitos apenas dois, vejam bem DOIS, estão no primeiro mandato, são eles: Eduardo Macluf, herdeiro do senhor Mansur Macluf que estava há mais de 30 anos em exercício de mandato na Câmara (e eu espero que ele não fique lá tanto tempo quanto o pai); e Diarone - Mata Cobra. Também foram eleitos para mandato de vereadores, mas que já haviam sido, Miriam Marroni, segunda mais votada; e José Artur. No más a Câmara continua igual. Nesta nova legislação sem o teatro do Cururu, que embora tenha sido bem votado, não entrou devido a legenda.
Salvo raras exceções, veja se eu tenho ou não tenho razão de tamanha tristeza? Observe o quadro copiado do site da Justiça Eleitoral e me diga.

Seq. Candidato Partidos Votação %Val.
* 1 23123 - SIZENANDO PR / PPS 8.495 4,45
* 2 13613 - MIRIAM MARRONI PT 5.717 2,99
* 3 11630 - EDUARDO MACLUF PTB / PP / PRB 5.470 2,87
* 4 14789 - IDEMAR BARZ PTB / PP / PRB 4.668 2,45
* 5 13611 - MILTINHO PT 4.185 2,19
* 6 45045 - EDUARDO LEITE PTC / PTN / PSDB / PHS / PT do B / PSC 4.095 2,15
* 7 11611 - JOSE ARTUR PTB / PP / PRB 3.798 1,99
* 8 25123 - ADEMAR ORNEL PMDB / DEM 3.422 1,79
* 9 10300 - VALDOMIRO PTB / PP / PRB 3.335 1,75
* 10 15699 - PEDRINHO PMDB / DEM 3.312 1,74
* 11 15613 - ADALIM MEDEIROS PMDB / DEM 3.283 1,72
* 12 13513 - IVAN DUARTE PT 2.954 1,55
* 13 13646 - DIARONE SANTOS - MATA-COBRA PT 2.226 1,17
* 14 12040 - ZEQUINHA DOS RODOVIÁRIOS PDT 2.119 1,11
* 15 23007 - PROFESSOR ADINHO PR / PPS 1.817 0,95

segunda-feira, setembro 29, 2008

Preparados?

Então estão preparados para votar? Fizeram como os atores e atrizes das propagandas eleitorais disseram, assistiram aos programas partidários, procuraram e se informaram sobre os candidatos? Mas não pode pesquisar só o candidato a prefeito tem que investigar o vice, pois vocês sabem que no nosso Brasil varonil o vice acaba assumindo vez ou outra. Em alguns casos até que os eleitores saem ganhando, mas em outros...
E os candidatos a vereadores? Minha nossa senhora! Depois do Cururu ter feito todo aquele teatro na eleição passada e ter ganho a eleição vários outros candidatos ao cargo do legislativo resolveram fazer um certo teatrinho. É claro que é destes que a gente lembra quando começa o horário eleitoral. Mas espero que não seja neles que os eleitores votem. Já basta um Cururu na Câmara. Aliás, hoje procurando material pra minha pesquisa encontrei duas atas, ou registro de duas sessões da Câmara de Vereadores de Pelotas e digo uma coisa, lendo o que os vereadores explanaram já fiquei passada imaginem vocês assistir uma sessão?!
É por isso que eu digo, não como aquela atriz muito bonitinha que tá grávida e tá ganhando do governo federal pra dizer toodas aquelas coisinhas, digo por acreditar que é melhor pensar bem antes de votar como protesto em alguém que se tem certeza de que não vai ganhar. Olha o Cururu, ele tá lá. Quer fazer protesto? Vota em Branco, vota nulo. Isso é protesto, votar em alguém que não tem condição é furada.
Quem sabe vasculhando bem entre os candidatos não se acha alguém que não é político, mas que quer realmente fazer algo pela cidade?

sexta-feira, setembro 26, 2008

Novo que é velho!

Sabe, depois da eleição da governadora Yeda Crusius, que tinha como slogan "um jeito novo de governar" passei a ficar com medo deste negócio de novo. Mais especificamente na política é claro. Porque ela veio com muita gente que já era raposa velha, que não foram governadores tão bons e respeitados assim e, hoje, quase quatro anos depois desta história de novo jeito, temos várias denúncias envolvendo o governo Crusius, como o caso da compra da casa nova da governadora e os casos do Detran - que diga-se vem causando tragédias por aí.
Aqui em Pelotas o novo vem numa coligação do Democratas com o PMDB, partidos não tão novos assim, sendo que o primeiro mudou de nome deixnado de ser o PFL de Antonio Carlos Magalhães e outros pra ser o Dem. E o PMDB, todos nós sabemos é um dos mais antigos partidos políticos que ainda hoje existem, tendo passado pela ditadura militar, tendo estado dentro do governo desde aquele tempo etc & tal.
Os candidatos a prefeito e vice desta coligação são "caras" novas, mas com os nomes de família bem conhecidos, pois Chiarelli, o pai do Mateo é político há muitos anos tendo passado por vários governos, inclusive sendo secretário, ministro e tendo ocupado outros cargos governamentais. claro que pai e filho são independentes, mas... como diz o sábio ditado popular "a fruta nunca cai longe do pé". O Fabricío Matielo, é candidato a vice, não conheço muito, sei que é advogado, professor e ex-jogador de futebol, não lembro de ele ter ocupado cargo político, pelo menos em Pelotas.
Mas o que mais me assusta é que toda essa conversa de novidade, de cara nova vem acompanhado de candidatos mais que velhos na política como Adalim Medeiros, Ademar Ornel e Pedro Godinho, só pra citar alguns deles. É que eu indagaria ao candidato: _ Como o senhor pretende fazer um governo diferente, novo com uma câmara de vereadores cheia de políticos que estão lá há mais de dez anos e que fazem parte da sua coligação? Como implantar o novo num lugar cheio de vícios, onde a troca de favores não está implícita, mas que pela convivência já se instalou?
Este novo é muito velho e pra mim não serve não.

quarta-feira, setembro 24, 2008

42,7% dos brasileiros acreditam no que leêm

A Fenaj - Federação Nacional dos Jornalistas- realizou uma pesquisa de opinião, que está divulgada aqui no Comunique-se. Entre os dados está a credibilidade do leitor/ telespectador/ouvinte em relação ao material jornalístico que tem acesso e a defesa dos brasileiros em relação ao diploma de jornalismo.

sexta-feira, setembro 19, 2008

Flexibilização das fontes

É interessante o que algumas pessoas dizem quando mudam de posição num governo. Quando são oposição dizer que não tem grana pra aplicar em alguma área é uma heresia. Por outro lado, quando se está no governo... isso vira uma prática constante. Como ocorre no governo Yeda, por exemplo.
Então fico pensando, como é que políticos que lutaram contra um regime militar que proibiu tudo no país consegue hoje defender práticas que eles condenavam tempos atrás? E o governo Lula me surpreende cada dia mais, e não é uma BOA surpresa. Foram inúmeras denúncias e agora os ministros querendo mudar questões cruciais e importantes do jornalismo que foram garantidas depois de muita luta, como a proteção a fonte e a regulamentação da profissão.
Realmente, como disse Alberto Dines (em relação aos "grampos" que estão sendo divulgados com ligações sigilosas) a imprensa muitas vezes abusa sim e divulga informações sem a menor investigação, sem o menor cuidado.
Agora, como dizem os mais experientes, um erro não justifica outro. Gostaria de lembrar este governo por ser o primeiro governo de esquerda eleito pelo povo, que mudou questões cruciais no país, protegendo os cidadãos e a democracia. Não como um governo que antes de eleito ERA de esquerda e que hoje em dia é reconhecido por negociatas, por denúncias e por arbítrios, outrora condenados por ele.

quinta-feira, setembro 18, 2008

Ladrão devolve carro onde criança dormia

Esta é a melhor da semana. Depois dos pais que matam os filhos, um ladrão que devolve um carro roubado porque tinha uma criança dormindo no banco de trás. O "meliante" não é um exemplo de caráter, vamos deixar claro, leva a vida de roubar dos outros. Mas tem consciência, talvez pela vida que o levou a ser o que é hoje, que para criança temos que ter amor, temos que proteger, cuidar.
Já os pais, ou melhor a mãe e o padrasto, estavam num boteco tomando umas e outras. Será que realmente não passou pela cabeça deles em nenhum momento que esta criança corria algum perigo?
Realmente tem coisas que nem Freud explica!

Ministro da Educação estuda a possibilidade de outros diplomados exercerem jornalismo

Não fosse o jornalismo um campo tão disputado hoje em dia, talvez discussões como estas não chegassem a existir. Até acredito que trabalhar na formação de outros profissionais para que atuem no jornalismo é melhor do que pegar qualquer um pelo simples fato de ser um entendido no assunto; tipo pegar um jogador de futebol pra fazer matérias só porque ele entende o que é um tiro de meta ou impedimento (mesmo que se aproveite disso, às vezes, quando está em campo).
Mas não acho que o jornalismo seja escolhido como profissão por sua função formadora de opinião e por sua importância na transformação e divulgação de determinados temas. Não quero generalizar, no entanto percebo que muitos escolhem pela visibilidade que o jornalista tem, pelo "glamour" que os cerca, principalmente quando o profissional atua na tevê. Nem é uma profissão que pague tão bem assim e cobra um investimento muito grande de tempo, de formação e de grana mesmo se o interessado quiser ser um profissional sério e reconhecido por seu trabalho e não porque tem uma carinha bonita ou participou do big brother.
Talvez o ministro não esteja de todo errado, apenas escolheu um mau momento para apresentar sua proposta. Já que a categoria tem brigado muito para manter a obrigatoriedade do diploma para o exercício do jornalismo. Entre um dos argumentos que Haddad apresenta é de que em muitos países em que não é obrigatório a formação superior muitos profissionais optam por fazê-la. Mas senhor ministro, com todo o respeito, estamos no Brasil, o país do jeitinho. Se tem gente que exerce medicina ilegalmente imaginem o jornalismo - que para muitos não passa de colocar algumas palavras em folhas de papel?
Eu defendo sim a obrigatoriedade do diploma, da boa formação profissional. Não só porque eu busquei esta formação e paguei caro por ter estudado em universidade particular, mas principalmente porque sou daquelas que acredita na importância do papel do jornalismo, porque acho sim que o jornalismo é formador de opinião e temos provas claras de que se utilizado de forma mal intencionada ou impensada causa danos muitas vezes irreversíveis, como por exemplo no caso da escola base em São Paulo.
E também acho sim, mais por respeito do que despeito, que se eu não posso exercer medicina, direito, engenharia e outras profissões regularizadas por não ter formação eles também não devem exercer jornalismo. Acho errado jornalista se achar historiador! Aqui cabe bem aquele jargão que como hit e dança não pegou, mas como expressão é de um sincretismo "mara" "Cada um no seu quadrado!".

segunda-feira, setembro 15, 2008

Crimes fraternos

É claro que sabemos que assassinatos de pais e filhos, de irmãos e mães por seus próprios parentes acontecem desde há muito tempo. Relata-se na biblía o caso de Caim e Abel. E tem entre os gregos situações como a do Édipo e do próprio Chronos.
Aqui em Pelotas e região é famoso o caso do filho que matou a mãe, com a ajuda do pai e dos irmãs, esquartejou -a e, dizem, fez um arroz de carreteiro com o coração da genitora. O caso do "Deusinho" que aconteceu em 1980, causou muita comoção, pois o então rapaz de 24 anos entrou, assim como toda a família, para uma religião e a partir daí passou a ouvir vozes que diziam que ele devia tirar o capeta, o coisa ruim da mãe. A matança começou pelos cachorros da casa, além da mãe "Deusinho" matou também um irmão que era doente e agrediu as irmãs, deixando uma com os braços quebrados e a outra com a perna. Segundo relataram ao repórter policial do jornal Diário Popular na época, Alvaro Piegas, todos morreriam, inclusive as crianças. De acordo com eles para que um cadáver fosse enterrado outro já deveria estar "pronto".
Estes são apenas alguns exemplos do quanto um ser humano pode ser cruel com sua espécie, ou melhor, com seu próprio sangue. Talvez algum psicólogo possa explicar a apatia que acomete as pessoas que, ajudam ou que simplesmente não fazem nada ao presenciar um assassinato como estes. Quem sabe seja o medo que mova estas pessoas a ajudar, ou talvez sejam tão psicopatas quanto os assassinos. Quem poderá saber?
Fato é que crimes como os que tem sido manchetes nos noticiários de pais e padrastos e mães e madrastas que matam seus filhos não são novidade tão nova assim. Talvez estejam ganhando mais atenção da mídia depois da comoção causada pelo caso Isabella. Ou quem sabe, para a imprensa matar dois filhos, esquartejar e queimar, além de enterrá-los num terreno baldio seja mesmo demais.
Não, não estou dizendo que não devam ser noticiados. Acho inclusive que pessoas capazes de crimes atrozes como estes nos quais vitimam seus próprios filhos não tem direito a prisão especial, tem que ser julgados por juri popular. Afinal, alguém capaz de fazer isso ao próprio filho faria o que com alguém que não é nada dele? Eu teria medo, se fosse a madrasta assassina e co-autora do crime.
A verdade é que estou estarrecida. Quando leio mitologia grega e romana me surpreendo dos absurdos que ocorriam. Parece que coisas como estas estão tão longe da gente, tao distante, perdidas no tempo. Aconteciam porque era início dos tempos, os costumes e a cultura eram outros. Muito tempo se passou... No entanto, o ser humano não conseguiu se livrar de certos vícios, preconceitos e problemas. Só realmente não entendo o que querem dizer quando falam em evolução.

quinta-feira, setembro 11, 2008

9/11 - ...

Eu me recuso a falar no 11 de setembro, embora já esteva falando. Não por ser a favor do que aconteceu ou por ser contra. Mas por que os Estados Unidos sempre fazem toda esta propaganda da dor que sentiram as famílias e de como o país foi atingido de forma cruel e bárbara. É óbvio que foi um ato cruel que matou milhares de pessoas inocentes, mas atentados tão barbaros quanto este ocorreram em Madri também. E morreram inocentes também. E ocorreram em Londres e em outros países e nem por isso seus povos fazem tanta propaganda de como sua dor é a maior do mundo. Claro que fazem homenagem as vítimas, se solidarizam com os familiares, só que nos "esteites" é demais.
Na verdade, o que mais demonstrou o 11 de setembro de 2001 foi o quanto a "maior" potência do mundo é tão indefesa quanto qualquer país de terceiro mundo que já foi invadido por ela para ser libertado. A liberdade que os Estados Unidos prega é só para que eles possam melhor explorar as riquezas dos povos "libertos".
A maior lição que podemos tirar destes atentados que ocorreram há sete anos é de que o dito popular está sim correto e que "violência gera violência".

quinta-feira, setembro 04, 2008

Sessão animal!


Um tatuador belga tatuou vários porcos. Win Delvoye está expondo, na China, oito porquinhos que depois serão vendidos. O artista utilizou como tatuagem vários símbolos.

Achei a idéia bem legal, mas não teria coragem de matar um porquinho tatuado. Fiquei pensando em chamar este belga pra tatuar os nossos lá fora.

A foto é do site Terra, de onde eu tirei a notícia.

quarta-feira, setembro 03, 2008

Jacarés, crack, maconha e corpos devorados

No melhor estilo "Porcos e diamantes" - filme em que um gangster utiliza os animais para se livrar dos corpos de suas vítimas - traficantes do Rio de Janeiro, na favela da Coréia, em Senador Camará, utilizavam dois jacarés para se livrarem dos cadáveres de seus inimigos.
Segundo o delegado Rolnaldo Oliveira, titular da Delegacia de Roubos e Furtos de Automóveis (DRFA) "os jacarés são um símbolo de poder do tráfico". Ele também salientou que os animais também eram utilizados para ameaçar moradores e vítimas de sequestro. Os jacarés foram encontrados no quintal de uma casa.
Era o que faltava, mais sulreal do que isto só a história do jacaré que morava no esgoto. É pena que os animais não tenham acesso a certos políticos lá de Brasília.
Acho que vou comprar um jacaré pra mim, quem sabe seja mais seguro um jacaré no esgoto do que certa pessoas na Câmara e na prefeitura?

sexta-feira, agosto 29, 2008

Reagir a assalto

Há alguns dias uma empresária de Porto Alegre, dona de uma loja de empréstimos pessoais (conhecida como financeira), reagiu a um assalto a seu estabelecimento, matou um dos assaltantes e feriu outro.
É claro, que isto não é uma ode para que as pessoas comecem a reagir a assaltos e comprem armas. Não. Sim, saber que um trabalhador ou empresário que a muito custo tá adquirindo seus bens saiu ileso de um assalto ou que reagiu e mato-o dá algum alívio. Mas é muito difícil acreditar que pessoas reajam a assaltos, arrisquem suas vidas por coisas materiais sem pensar em tudo que poderia perder. Enquanto que o assaltante está lá para o que der e vier, ele não tem nada a perder, além da vida, mas que também não valoriza (pois se valorizasse não estaria arriscando-a). Também em Porto Alegre um vigia de uma joalheria depois de deixarem a loja o segurança perseguiu os ladrões, foi baleado e morreu. Os bandidos fizeram outras vítimas durante a fuga.
Como defender que as pessoas reajam a uma situação de perigo destas? Ainda faltam muitas políticas públicas e ações para melhorar as condições de vida dos cidadãos. Não é apenas uma questão de amenizar a fome dos mais pobres, mas sim ter uma ação efetiva que faça com que estas pessoas se sintam valorizadas e que tenham escolhas de vida que não seja o tráfico ou a bandidagem. É difícil? Claro que é, são muitos anos de corrupção para serem consertados.
Quanto ao porte de armas... Na verdade, acho que alguns policiais não estão preparados para portar uma arma, imaginem então alguém sem a menor preparação? É uma situação difícil para o cidadão, ainda mais estando em época de eleição, todos os candidatos irão dizer que tem projetos, que farão ações, no entanto sabemos que isto é apenas discurso e, quase, nenhum deles cumpre o que promete.

quinta-feira, agosto 28, 2008

Veja que baita besteira!

Eu li a matéria, tá bem, parte dela, não agüentei ler tudo, e endosso os comentários feitos por minha amiga Penkala. Pra não dizerem que a gente fala sem ler... leia aqui e tire suas conclusões.
Agora, depois de ter lido isso fico ainda mais orgulhosa de ser considerada por alguns como subversiva.

quarta-feira, agosto 27, 2008

Tentativa de assassinato

E não é que o advogado do Salvatore Cacciola declarou que ele é alérgico a frutos do mar? Agora imaginem, e os advogados de bom caráter e índola - que são aqueles que devem, ainda estar pobres, que me perdoem; mas... sabendo, como sabemos que advogado é uma raça das mais 171 que existem, o mais provável a acontecer é que o dito defensor do senhor Salvatore processo o estado do Rio de Janeiro por tentativa de assassinato. É bem capaz de ele entrar com um processo e ganhar. O que eu acho que já nem ia fazer com que eu me admirasse.

terça-feira, agosto 26, 2008

Come lagosta e arrota... marmitex?

Eu já tinho ouvido a expressão: "fulana come mondongo e arrota caviar", agora o contrário é a primeira vez. Mas tinha que ser aqui né? O ex-banqueiro Salvatore Cacciola, mais uma vez preso, esta no centro da investigação. Para ser mais precisa estão no centro da investigação a lagosta e salmão, possivelmente comidos por ele. Talvez um exame, tipo aquele que fazem no IML pra ver há quanto tempo a pessoa morreu resolva o problema. Na verdade, resolveria dois, saberíamos se Cacciola comeu ou não os citados frutos do mar e nos livraríamos de vez dele, que até hoje, preso ou não, não paga pelo seu crime de gestão fraudulenta, sendo que ele já foi acusado de tanta coisa e já faz tanto tempo que já nem sei porque afinal ele foi preso. Por comer lagosta eu sei que não foi. E do jeito que demoram as investigações neste país é bem provável que as coisas já tenham saído em forma de fezes, o que dificultaria o exame. Droga!

Quem deve estar comemorando é o povo de bangu 8, pois pela declaração do governador Sérgio Cabral, podemos supor que todos os presos passarão a comer lagosta no almoço, até porque lá ninguém vai tratar o senhor Cacciola como um Zé da Silva, quero ver é o Zé da Silva ser tratado como o Cacciola. "Primeiro reclamavam da situação humilhante da carceragem do Ponto Zero, agora, reclamam de mordomia. A Seap tem um secretário competente que está cuidando disso. O que vale para Chico vale para Francisco. Ou seja, o que vale para um vale para o outro", disse Cabral.

Desrespeito com o meio ambiente e com os outros


Eu passo quase todo o dia por este lugar, fica numa rua que não tem saída, a não ser para os pedestres que atravessam um pontilhão que esta pouco-a-pouco se desmantelando, na rua Cassiano do Nascimento. Bem ao lado deste campo, ou em frente, tem a escola Dom João Braga.
Por passar por ali em vários horários do dia eu já vi de tudo, tarados se masturbando no meio das árvores que tem ali, mais de uma vez, era um tarado com ponto fixo; vi gente reclamando que havia acabado de ser assaltado ou que tinha visto uma senhora ser assaltada em plenas três da tarde. Também já vi gente colocando entulho, restos de obras, pessoas catando lixo, catando minhoca pra pescar, namorados aproveitando o escurinho do lugar de tardinha e vejo muitos quero-queros.
Mas de tudo o que eu já vi por ali o que mais me deixou de cara foi ver, um senhor parar seu carro a 1h30min, ou pouco mais que isso, descer e jogar algumas sacolas do lixo que trouxe da sua casa bem ali. Sem o menor escrúpulo, sem vergonha. Como se não houvesse recolhimento de lixo na cidade. Depois de atirar o lixo que poderia muito bem ser reciclado, se separado devidamente e dispensado no local adequado, ele entrou no seu fiesta prata e seguir sua "viagem" feliz e contente com o carro e a lixeira limpos.
Fiquei muito puta da cara! Um homem velho, pelos seus 70 anos me ter o descaramento de fazer isso! Pensei boas pragas como vingança... depois pensei melhor e vi que, tudo isso volta pra gente querendo ou não, portanto, mais cedo ou mais tarde ele terá esse lixo de volta na sua porta.
E ontem foi o dia do lixo. O pior que do lixo colocado em lugar errado, pois quando ia pra aula vi um moço. Todo arrumadinho, bem vestido, estudante de um pré-vestibular na Cassiano, ao lado do João XXIII, jogar uma latinha de refri na rua. O pior é que ele estava parado, encostado num muro e há alguns passos tinha um latão. Mas não foi até lá, ele jogou a lata no chão. Também podia ter levado com ele e jogado na lixeira da sala de aula, porque ele não iria andar léguas até encontrar uma lixeira ou sei lá, mas não atirou a lata e entrou no prédio. Não posso entender coisas como estas, porque a minha sobrinha, de seis anos, se comer uma bala na rua guarda o papel pra jogar no lixo. Ela é tão preocupada em não jogar o lixo na rua que nem as lixeiras do calçadão valem como lixeiras. Ela diz: "_Guarda e vamos colocar no lixo lá de casa".
Acho que algumas pessoas perdem a educação com o passar do tempo, ao invés de se aprimorar. Sinceramente, às vezes, acho que "adultecer" faz mal.

segunda-feira, agosto 25, 2008

Olimpíadas

Acabaram as olímpiadas de Pequim. O saldo foi poucas medalhas para o Brasil, salvo algumas de bronze, poucas pratas e um ou dois ouros. Também tivemos vários repórteres empanturrados de espetinhos esquisitos que variavam do tradicional espeto de escorpião para outros bichos estranhos aos meus olhos, pelo menos depois de eles terem sido assados na brasa.
O lado bom da overdose de esportes olímpicos foi ver as mulheres se destacando nos esportes. Saliento aqui as mulheres do futebol, que mesmo tendo ficado, pela segunda vez com o segundo lugar, mostraram mais talento que os homens. Não é uma questão de feminismo aqui, na verdade é o reconhecimento de atletas que não tem tanto apoio na sua modalidade como existe no futebol masculino. Principalmente se forem comparar com o esporte no exterior, onde tem mais espaço como modalidade feminina.
Mas um fato me intriga, é a investigação que será feita para descobrir, afinal de contas, pra onde vai o dinheiro que o Brasil investe e que é destinado aos esportes. É interessante saber que o país investe em modalidades olímpicas, pois cada vez que se vê um atleta brasileiro bem na fita, geralmente vem o senão: "temos que aplaudir, afinal é um esporte em que não se investe no Brasil". Não tenho muita esperança de que esta investigação vá dar em alguma coisa, ou melhor em descoberta e punição de culpados, até porque dá, sempre dá... em pizza.
Vamos aplaudir os atletas que se destacaram na China, vamos entender aqueles que tiveram problemas, como o Diego Hipólito e a moça, aquela, da vara, e vamos, antes de tudo nos orgulhar das mulheres. Tá, só um pouquinho de feminismo, é porque precisamos de mulheres se destacando por talento de verdade, por garra, vestidas de quimono, de uniforme e chuteiras, mas por seu talento e não por sua abundância e pouco cérebro.

sexta-feira, agosto 22, 2008

Diversidade


Domingo a tarde avenida Bento Gonçalves vai ser o palco para o encontro das diversidades. Tomara que a chuva de uma tréga e o arco íris possa dar o ar de sua graça no desfile das Diversidades. Fica o convite. A prefeitura municipal apoia o evento, terá distribuição de preservativos.

quinta-feira, agosto 21, 2008

Horário eleitoral gratuito

Esta semana começaram as propagandas eleitorais no rádio e na televisão. Temos candidatos a vereadores falando do que farão por seu povo, por seu bairro e sua comunidade; e candidatos a prefeito que já conhecemos de longa data, além daqueles que vêm pela primeira, ou segunda vez. Por enquanto as que me fizeram gaitar uma bela gargalhada foi a propaganda do candidato à prefeitura Anselmo Rodrigues. A narração começava com uma voz grave dizendo: "ele voltou nos braços do povo", ou para os braço do povo. Cara, ele tá se achando o Getúlio Vargas, o Leonel Brizola. Não agüentei, tive que rir. É muita pretensão do cara. Outra que achei bem divertida é a do Partido Verde. Eles fizeram um jingle falando no Obama, dizendo " é Obama nos esteites e Rejana na princesa". Achei de uma poesia! Mas não entendi muito bem este link com Barack Obama. Enfim... começamos bem.

quarta-feira, agosto 20, 2008

Para os candidatos a prefeito de Pelotas




Várias ruas estão sendo "recapadas", ou estão, como dizem nas propagandas da prefeitura municipal, recebendo uma capa asfáltica para agilizar as vias e melhorá-las.

No entanto, problemas como este da foto ao lado, relacionados com o escoamento da água das chuvas continuam ano após ano. Na campanha eleitoral anterior foi motivo de grande debate, e alguns acreditam que até foi o que ocasionou a derrota do ex-prefeito e candidato Fernando Marroni, pois a grande quantidade de chuva, a queima de um motor da barragem e a dificuldade de escoar a água causou uma enchente. Na verdade a enchente não foi o problema, o problema foi as imagens do prefeito na época brincando com o fato de ter tanta água nas ruas que dava pra praticar surf.

Mas tudo isto é passado, o fato é que ainda temos o problema com as grandes águas, vamos dizer assim. Quem habilita-se a resolver o problema? Alguém arrisca dizer que há solução para isto?

Eu digo que sim, que há possibilidade de melhorias e nós podemos auxiliar, afinal, são as nossas casas que sofrem com a invasão desta água suja, barrenta e talvez, até contaminada. O primeiro passo é não jogar lixo na rua. Tá careca de saber? Pois não parece olha os sacos de lixo boiando n'água. Cuide do meio ambiente, separar o lixo pode ser apenas o começo.
Eu sei que parece brega e até com os discursos do pessoal do partido verde, mas o fato é que a falta de cuidado do cidadão com a cidade prejudica a todos.

terça-feira, agosto 19, 2008

"Esse ofício do Verso"


Jorge Luis Borges fala destes versos do filósofo "Baruch Spinoza". Vou colocá-lo em espanhol porque acho-o mais bonito, ou hermozo. É uma das minhas últimas leituras, tá certo que se minha orientadora ler isso vai achar que não tô estudando. Mas Borges é Borges.

Bruma de oro, el occidente alumbra
La ventana. El asiduo manuscrito
Aguarda, ya cargado de infinito.
Alguien construye a Dios en la penumbra.
Un hombre engendra a Dios Es un judío
De tristes ojos Y piel cetrina;
Lo lleva el tiempo como lleva el río
Una hoja en el agua que declina.
No importa. El hechicero insiste y labra
A Dios com geometria delicada;
Desde su enfermedade, desde su nada,
Sigue erigiendo a Dios con la palabra.
El más pródigo amor le fue otorgado,
El amor que no espera ser amado.

"É doce morrer no mar..."

Lá se foi Dorival Caimi nas verdes ondas do mar. Como diria o Zeca Diabo, aquele personagem saudoso do Lima Duarte, agora deve estar de "teretetê com os anjinhos" ou quem sabe já está detilhando alguma arpa para composições celestiais. Mas assim como o espírito é imortal a arte também o é e podemos curtir seu vozerão entoando refrões tão conhecidos nossos como "Marina morena você se pintou" ou o verso de que mais gosto "é doce morrer no mar, nas ondas verdes do mar".

sexta-feira, agosto 15, 2008

Falta de tempo!

Tenho corrido um pouco nestes últimos dias.
Ontem tive prova de estatística e de contabilidade. Não gosto muito de ficar falando da minha vida aqui no blog, tem coisas mais importantes.
Mas o fato de a professora de estatística tratar alunos adultos como crianças, achei por bem fazer meu protesto. Além disso, ela é bem estúpida, do tipo que o aluno pergunta se pode pegar uma caneta e ela rosna. Absurdo!

quarta-feira, agosto 13, 2008

Protesto

Hoje os jornalistas com diploma fizeram um protesto pelas ruas da cidade contra a tentativa, novamente, de retirar a obrigatoriedade do diploma para jornalistas.
Eu apóio o protesto.

quarta-feira, agosto 06, 2008

Cachorro morto

Em Santa Cruz do Sul o dono, deprimido, matou o Tobi, um cãozinho que foi salvo pelos bombeiros da cidade quando ficou doze horas preso num bueiro. A crueldade com o pobre animal chocou a cidade, gerou protestos e entristeceu muita gente. Foi aberto inquérito policial para averiguar as questões e o dono do cachorro foi preso.
Assim como em Pelotas a crueldade com os animais chocou o estado e o país.
Também fiquei chocada, mas depois de ver pai matando filho, mãe deprimida jogou a filha pela janela de um shoping em Joinville, Santa Catarina, não sei se me surpreende muito saber que homens e mulheres maltratam animais, já que são tão ou mais cruéis com sua própria espécie.
Mas como diz o ditado "é fácil chutar cachorro morto", assim como demonstra o quão monstruoso pode ser o "ser humano" - se é que se pode chamar de humano um individuo que comete tais atrocidades por puro prazer ou com a desculpa da loucura.
O que mais me assusta é saber que a violência tá tão arraigada na sociedade que pouco a pouco vamos nos acostumando. Será que haverá no futuro uma aceitação tão grande que agiremos como acontece nas sátiras dos programas de comédia, em que há o assalto das 15h ou das 17h e para os quais não serão esboçadas nenhuma reação? Essa situação é difícil, mas já sabemos quais são as causas principais, falta ação para eliminar as causas. Tem momentos que não se pode ficar apenas nos paleativos, a cirurgia pode se fazer necessária.

terça-feira, agosto 05, 2008

Cansaço

Tenho o que dizer, mas tô cansada!
Tô cansada de ver as pessoas correndo no dia-a-dia, pensando no quanto ficar um pouco parada parece que estamos disperdiçando tempo.
A gente acaba, e eu digo isto por mim, não fazendo as coisas de que gosta. Mas vai levando, se acostumando, vai indo conforme o tempo. Só que eu tô cansada, não tenho tanto entusiasmo por fazer coisas para ganhar dinheiro, também não tenho muita, pra não dizer nenhuma, esperança de ficar rica. Quero apenas uma casa simples, um lugar aconchegante para receber amigos, cozinhar e poder cantar e dançar feliz pela casa. Quero curtir os momentos simples, o banho quente, a luz do sol, dormir com o barulho da chuva no telhado, a risada das crianças, o abraço apertado.
Quero trabalhar, mas não tô afim de sofrer pressões, sei o que tenho que fazer e como. Mas acho que mereço reconhecimento.
Mas tô cansada! Tô cansada até pra reclamar. Vou só dizer o que quero e deixar para reclamar amanhã, até porque, ainda tenho aula. Amanhã reclamo, por hoje quero o banho quente, a comidinha que aqueça o "bucho", o travesseiro fofo, o chá antes de dormir. Também queria um beijo bom e aquela massagem nas costas, mas este vai ficar para o final de semana, já sei.
Amanhã eu volto, e talvez fale mal do governo, ou critique o jornalismo comum ou sei lá...

quarta-feira, julho 30, 2008

Isso aqui ô ô...

Agora, como diria Raul, "dois problemas se misturam". O caso é que começam as olimpíadas de Pequim, na China. A galera do jornalismo, e aqueles que não são jornalistas, mas que apresentam e entrevistam só porque tem uns corpinhos esculturais e o rostinho fofo, estão afivelando as malas para a festa do esporte pela paz. Calha destacar que não é apenas questões gastronômicas e culturais que fazem da China um lugar diferente. Entre algumas questões está a invasão do Tibet, que tem seu governo exilado, entre eles o Dalai Lama. Confesso que não sei muito da história do Tibet, ou da China, além do fato de esta última ter sido comunista, ter sido liderada por Mao Tsé Tung e outras coisas como o fato de os chineses apreciaram carne de cachorro e outros animais.
Posso estar errada, mas imagino que o povo tibetano seja um povo pacífico. Mas ser pacífico não quer dizer submisso, omisso e eles portestam contra a opressão chinesa em seu território. Muitos tibetanos deixaram o país. O próprio Dalai Lama está exilado desde 1959.
Mas os problemas que se misturam é o fato de as Olimpíadas serem na China, a televisão irá dedicar 99% se sua programação a cobertura dos jogos e disputas, que ocorrerão em sua maioria na madrugada brasileira. Neste período, coisas relevantes como aprovação de alguma lei que sacaneia o povo brasileiro passará despercebida nas redações televisivas e, talvez, tenha algum espaço nos jornais e revistas. Além de deixar os cidadãos do Brasil saturados de tanta olimpíada, vai ser quase impossível que se toque no assunto subjulgo do Tibet, a menos que haja alguma manifestação durante alguma disputa, em frente as câmeras de televisão do mundo.
Assim como as notícias aqui do nosso país que chegam fragmentadas, mal elaboradas, sem crítica e quase sem crédito, as notícias de Pequim serão sobre o glamour da abertura dos jogos, da moda e dos costumes chineses. Os repórteres perseguirão os atletas brasileiros para saber qual foi a comida mais estranha que eles comeram ou ouviram falar que existe. O pior serão as repostagens da RBS que irá se ater a perseguir os atletas gaúchos durante os jogos, querendo saber se eles levaram o chimarrão na bagagem, se estão sentindo saudade do frio e do poncho e coisas do gênero. Com certeza também irão correr atrás de pessoas, ou melhor gaúchos e gaúchas, que estejam vivendo na China e tenham aproveitado algum momento para ver algum dos atletas.
Em suma, será um grande festival, tal como os chineses, com desfile de dragões de tecidos, muito coloridos, alegres e felizes. Bem no fundo escondendo aquelas questões importantes que nos atingem em cheio. Enfim, será como acontece desde a Roma antiga*, "pão e circo", neste caso mais circo do que pão.

*Pão e Circo Com o crescimento urbano vieram também os problemas sociais para Roma. A escravidão gerou muito desemprego na zona rural, pois muitos camponeses perderam seus empregos. Esta massa de desempregados migrou para as cidades romanas em busca de empregos e melhores condições de vida. Receoso de que pudesse acontecer alguma revolta de desempregados, o imperador criou a política do Pão e Circo. Esta consistia em oferecer aos romanos alimentação e diversão. Quase todos os dias ocorriam lutas de gladiadores nos estádios ( o mais famoso foi o Coliseu de Roma ), onde eram distribuídos alimentos. Desta forma, a população carente acabava esquecendo os problemas da vida, diminuindo as chances de revolta. (fonte: www.suapesquisa.com.br/imperioromano)

quinta-feira, julho 24, 2008

Oi sonhos para antes de morrer...

Fiquei chocada depois de ler meus sonhos e ver que... além de escrever, não tem mais nenhum que envolva minha vida profissional, vê se pode?!
Mas é que fiquei meio desiludida com o jornalismo depois do último jornal que trabalhei. Pra completar, não recebi. A única coisa boa foi as amizades que fiz e perduram.
Ainda assim, contudo isso, acho que o jornalismo tem uma função social que não é bem explorada pelos próprios profissionais que só querem realizar trabalhos que vão lhe dar status. E os donos das "empresas jornalísticas" investem apenas no que dá retorno $$$$$$$$$, sempre em pilas, é claro.
É por isso que, agora estou dando um tempo no trabalho como jornalista, mas quero voltar e fazer algo de bom com o que aprendi, algo que vá, no final dar um retorno pra mim, mas principalmente para as pessoas, os cidadãos comuns, sem grana, pois são estes que importam. Também acho que é importante trabalhar bem uma pauta e não simplesmente coletar uns dados quaisquer e jogar no computador e na internet. As pessoas ficam sabendo de muita coisa, mas geralmente de forma fragmentada e incompleta. A velocidade que as informações chegam nas pessoas é tão fulgaz que muitas vezes ninguém fica sabendo dos fatos e já os esqueceu. Quem sabe toda esta concorrência não sirva para que o trabalho jornalístico melhore realmente? Tomara.

terça-feira, julho 22, 2008

8 coisas para se fazer antes de bater as botas

8 coisas pra fazer antes de bater as botas, a cassuleta, ir pra cidade dos pés juntos, cantar pra subir
meme passada pela Anucha, que por sua vez pegou da urubulina (lá nO cinematographo tem link para urubulina).
Regulamento:
1) Escrever uma lista com 8 coisas que sonhamos fazer antes de morrer;
2) Convidar 8 parceiros(as) de blogs amigos para responder também;
3) Comentar no blog de quem nos convidou;
4) Comentar no blog dos nossos(as) convidados(as), para que saibam da "intimação";
5) Mencionar as regras.

1) Amar incondicionalmente, ou chegar o mais perto disso, caso não venha a ter filhos;
2) Ter uma casinha, ou apêzinho, onde possa receber pais, sobrinhos (os que tem meu sangue e aqueles que adquiri por pura afinidade e gosto por jujubas e desenhos animados), irmãos, primos, amigos, com fogão a lenha e lareira para o inverno e uma área onde possa ter umas florzinhas e estas coisas;
3) Ter aquela pessoa especial com quem eu gosto de conversar, rir, comer, beber e namorar muito, é claro; sempre perto.
4) Ter meus amigos perto; ou conseguir visitá-los com mais freqüência;
5) Contribuir de forma efetiva para que o mundo melhore, embora não saiba como fazer isso vou tentando fazer coisas pequenas, como cuidado com meio ambiente, por exemplo;
6) Escrever um livro, ou vários;
7) Ter uma biblioteca com vários clássicos, com todos os livros do Gabo e alguns livros infantis com ilustrações legais;
8) Ver todos os que eu amo felizes, nem que, como diria a Dercy, "seja na porrada".

Quem deve fazer esta meme... todos que passarem por aqui, se é que alguém passa.

segunda-feira, julho 21, 2008

"A gente vai ser feliz na porrada!"


Sei que tem quem não goste dela, por inúmeras razões. Não posso dizer que sou fã, no entanto... uma mulher que toma a vida nas suas mãos num período em que a sociedade considerava que lugar de mulher era tão somente em casa, deve ser, no mínimo admirada. Mais ainda é saber que esta mesma cidadã viveu mais de cem anos e foi feliz, nem que pra isso tivesse que sair na porrada. Devemos aprender com quem tem mais vivência e deixar esta coisa de estresse, de falta de dinheiro e de problemas para lá e dar boas gargalhadas, nem que para isso tenha que usar o palavrão ou... a porrada.

Valeu Dercy!