terça-feira, dezembro 28, 2010

Final de ano

Não sou muito chegada as festividades de final de ano. Sou um pouco tomada por uma certa melancolia, sei lá. É um período de reflexão na minha opinião, mas todo este oba-oba do comércio acaba me causando uma certa irritação. Este ano, depois destes aumentos indecentes que os deputados deram a si mesmos me decepcionei ainda mais com a política. Para completar as notícias de violência, que acontecem em toda a parte colorem os jornais de vermelho sangue. As retrospectivas de 2010 trarão coisas absurdas como a morte de várias mulheres que tiveram seus próprios maridos ou namorados como assassinos, trará deslizamentos, enxurradas, terremotos e outros desastres ambientais que causaram muitas mortes. Haverá imagens de embates políticos que quase chegaram as vias de fato. E terá a exposição do preconceito, que é combatido e está entre nós, escondido por baixo da hipocrisia talvez, mas latente. Independente da maneira como se manifesta, seja pelo gênero, cor da pele, opção sexual ou status social o fato é que, com toda a "evolução" porque a humanidade passou nos  últimos anos, esta demonstração absurda de ignorância segue. E passaram da cara de nojo ou torcer de nariz para violência gratuita e descontrolada.
Estas pessoas se consideram acima do bem e do mal e fazem de si mesmos a palmatória do mundo para "corrigir" o que consideram errado.
Apesar  de decepcionada continuarei aqui fazendo minha parte. Mantenho a esperança de que 2011 seja melhor. Que cada um de nós faça o seu melhor! Feliz ano novo para todos nós!

quarta-feira, dezembro 22, 2010

O aumento foi de 73%, mas o argumento é de que podia ter sido 75%

É o seguinte, o fato de a Constituição prever que o aumento seja de até 75% em relação ao salário dos deputados federais, não significa, OUÇAM BEM SENHORES DEPUTADOS ESTADUAIS, NÃO SIGNIFICA, que o reajuste deve ser deste percentual. Assim como é absurdo, abusivo, estapafúrdio, imoral e anti ético que os parlamentares aumentem seus rendimento com um percentual tão alto.  Mas não adianta falar não é? Quando a regra é para os outros eles sabem interpretar muito bem, mas quando a regra é para eles...
É incrível como cada um dos que votou a favor de aumentar seus próprios salários tem argumentos para se justificar. Alguns dizem coisas que dá vontade de rir, NÃO FOSSE A TRISTEZA E VONTADE DE CHORAR DIANTE DE UMA ATITUDE COMO ESTAS DE REPRESENTANTES DO POVO. (isto dá vontade de rir, entendeu? Representantes do povo, sacaram?)
Gostei muito do argumento da deputada Zila Breitenbach (PSDB), que votou a favor e disse a seguinte pérola em entrevista ao Click RBS: "Nós entendemos que é um cargo que não tem nenhuma gratificação posterior ao exercício dele onde as pessoas deixam todas as duas atividades para se dedicar exclusivamente à Assembleia".
Coitada dela né? Tem que receber bastante enquanto exerce o cargo porque depois não receberá nada. Ela deixou suas atividades. E usa este argumento como se tivesse sido forçada a candidatar-se. E como se não tivesse nenhum benefício.
Senhora dona Zilá, olha só, nós cidadãos entendemos que o cargo que a senhora exerce na Assembleia Legislativa é voluntário e está sendo exercido por sua livre e espontânea vontade.  O argumento utilizado pela senhora é falho e não convence. Minha dica é, renuncie e volta às suas atividades antes de ser uma deputada. Talvez não seja o melhor para a senhora (financeiramente falando), mas será melhor para o nosso estado, com certeza!
 Mas realmente convincente, muito convincente, é o argumento do dep. Raul Carrion (PC do B), que também votou a favor, e disse: "Se deu por entender que deve haver uma isonomia nos salários dos diversos poderes, do Executivo, do Legislativo e do Judiciário.". Portanto... vamos aumentar nossos salários conforme quisermos. É isto? Pensei que o comunismo fosse pela igualdade, mas não, pelo que diz Carrion a igualdade é apenas para os PODERES! Os pobres coitados que são assalariados devem continuar igualmente pobres.
Entendo o socialismo, comunismo, anarquismo de forma diferente disso tudo que está aí.
Decepção total! Vergonha de ter tais representantes. Indignação com o desrespeito por quem os elegeu.

terça-feira, dezembro 21, 2010

D. Manuel o Bispo de Limoeiro

Defendo que o Estado deve ser laico, que devamos separar política de religião. O Brasil diz-se um país Laico. Está prevista na Constituição a liberdade de credo, no entanto, apenas ter o direito de professar sua religiosidade abertamente não garante a dita "laicidade". Para isto seriam necessárias muitas mudanças como a ausência de objetos religiosos em fóruns e órgãos públicos. Ou a presença de objetos de todas as religiões. Mas isto é assunto para outro post.
Embora não seja católica admiro algumas personalidades desta religião, como D. Hélder Câmara, Madre Tereza de Calcutá e outros. E agora passei a admirar, mesmo sem conhecer o D. Manuel, que é bispo de Limoeiro/CE. Mas, pra mim, claro, seu mais importante feito, além do trabalho  em defesa dos oprimidos, foi ter recusado a comenda D. Hélder Câmara e ter dito com todas as letras que:
 "A Comenda hoje outorgada não representa a pessoa do cearense maior que foi Dom Hélder Câmara. Desfigura-a, porém. Sem ressentimentos e agindo por amor e com respeito a todos os senhores e senhoras, pelos quais oro todos os dias, só me resta uma atitude: recusá-la. Ela é um atentado, uma afronta ao povo brasileiro, ao cidadão contribuinte para o bem de todos com o suor de seu rosto e a dignidade de seu trabalho".
Quero lembrar que os deputados cearenses, todos os sete, votaram a favor do reajuste de 61% aos seus próprios salários. Admiro D. Manuel pela coerência, afinal de contas não compreendo e não concebo a possibilidade de defender os oprimidos e a um aumento como este, uma disparidade, uma afronta.
Defendo e admiro a coerência do religioso porque é uma coisa que não percebo em muitos políticos, salvo os do PSOL e alguns raras exceções em outros partidos.
Ficaria ainda mais feliz se todos os outros homenageados seguissem o exemplo do bispo e recusassem a dita comenda a fim de fazer pensar aqueles que deveriam nos representar. Será que estou sendo ingênua?
A D. Manuel dou meus parabéns pela atitude, se outras pessoas tivessem a mesma postura e capacidade de indignação diante das injustiças o mundo seria outro.

"Se dirigir não beba, se for beber me convide"

Algumas vezes caminhando pela rua eu me sinto como o Pateta naquele desenho dos carros. Percebo algumas pessoas como ele, ao volante agressivas e impetuosas e fora dele frágeis e desprotegidas. Eu não dirijo, não tenho carteira de motorista e não tenho carro. Sempre brinco dizendo que se um dia resolver ter um carro, terei um motorista e unirei o útil ao agradável e necessário. Por enquanto... faço como a Angélica, logo no início da carreira e... "vou de táxiiiiiii, cê sabe..."
Logo que fiz 17 anos meu pai disse que começasse a fazer auto escola. Como diz um amigo meu, tive tantas aulas que já estou contando horas de vôo. Brincadeiras a parte o assunto é muito sério. Não tirei a carteira, desisti depois de algumas reprovações. Não me envergonho, é melhor, afinal... gosto muito de beber e isto eu aprendi, bebida e direção não se deve misturar.
Mas andando na noite, saindo para barzinhos e botecos o que vejo são muitas pessoas com o copo na mão e a chave do carro no bolso. Não importa grau de instrução, modelo do carro, idade entre outros detalhes. É bem verdade que homens, entre 18 e trinta e poucos anos são os mais afetados pelas estatísticas que envolvem acidentes de automóveiss e mortes de um modo geral. O que contribui para uma outra estatística, o maior número de mulheres em relação aos homens.
As regras básicas de trânsito acabam sendo encaradas pelos motoristas apressados como um empecilho, um atraso no seu percurso. Motociclistas arriscam sua pele, literalmente, para chegar mais rápido em seus destinos. Entregadores cortam a frente dos carros, quebram espelhos, costuram em meio aos carros e andam pela esquerda, pela direita, pelo meio, de cima, de baixo, de todos os lados e enlouquecem quem está no volante de um automóvel. Os pedestres também arriscam suas articulações quando esperam para atravessar na rua ou transitam fora da faixa, com o sinal fechado para eles ou sem olhar. Alguns ciclistas, mesmo com ciclofaixa andam de forma louco e imprudente.
Não quero generalizar, em relação a nenhum destes "seguimentos", no entanto a irresponsabilidade e falta de educação existem em todos eles. Sempre fico pensando para onde vão com tanta pressa? Porque tanta impaciência? Porque  param na faixa se ficarão intimidando os pedestres com aceleradas sucessivas? Porque os ciclistas andam na contra mão?
Sim, sinto-me o Pateta e não me atrevo a atravessar nem na faixa quando não tenho certeza de que todos os carros pararam. Uma conhecida minha foi atropelada em frente ao Hospital São Francisco de Paula, sobre a faixa de segurança por um motociclista e os carros estavam parados para ela passar. Depois de algum tempo internada em estado grave está se recuperando, mas bem podia ter morrido. O trânsito está louco, como muitas outras coisas estão loucas no mundo. Não é culpa dos carros, embora eu ache que se a lei determina 80km/h numa BR porque os fabricantes os fazem para andar a mais de 100?
Beber e dirigir é uma falta gravíssima neste roll de imprudências. Muitas vezes num acidente envolvendo um motorista embriagado morre uma família inteira. Estamos no final do ano e as festas sempre envolvem algum tipo de bebida de álcool, proponho que façamos um acordo, neste Natal e ano novo "se for dirigir não beba e se for beber me convide", mas depois a gente vai de táxi.

segunda-feira, dezembro 20, 2010

"Não perturbe!"

Acabei de cadastrar meus números de telefone no Procon/RS para não receber ligações de telemarketing. Não ia fazer isto porque compreendo que as moças e moços que trabalham nestas instituições precisam trabalhar. Mas sinceramente acho um completo desrespeito ligarem a cada uma hora para a tua casa para insistir que tu adquiras um cartão ou um serviço ao qual tu não solicitastes. Na sexta feira o Bradesco ligou, eu mesma atendi e disse que eu estava viajando e voltaria só em março. Hoje, no entanto, ligaram novamente, primeiro às 8h 30min da manhã, acordaram minha mãe. Ela disse que eu não estava, então às 9h 30min ligaram novamente. Ela repetiu que eu não estava, que se fosse oferecimento de cartão de crédito eu não queria. A moça muito bem educada disse que não era com ela que queriam falar.
Não satisfeitas em torno de 13h ligaram novamente. Então eu atendi a ligação e disse que não queria cartão e pedi que não ligassem mais. Perguntei como conseguiram meu número, ela disse que não sabia dizer.
Eu pedi novamente que não ligassem, já perdendo a pouca paciência que tenho. Argumentei que entendia que era o trabalho dela, mas era meu direito não querer mais um cartão de crédito ao qual eu nem havia solicitado. Ela ignorou meu argumento e disse que era difícil pois eu nem havia escutado a maravilhosa proposta que eles estavam me fazendo, com anuidade zero e o capeta a 4.
Com o pouco de paciência que me restava completei que já tinha um cartão de crédito há 10 anos ou mais e que não iria trocar.
_Mas senhora, não é trocar de cartão, é adquirir um serviço com anuidade zero, 50% de desconto no cinema para a senhora e seu marido (coisa que não tenho), e desconto em coisas para seu filho (o que também não tenho).
Minha resposta foi:
_Amiga, eu não quero outro cartão de crédito ou linha ou seja lá o que tu estejas oferecendo. Não tenho conta no banco Bradesco, nem gosto de tal instituição. O cartão que tenho supri inteiramente minha necessidade. Agradeço se tu não voltares a ligar.
Daí foi que veio a gota d'água! Ela me disse com estas palavras:
_Não concordo com a senhora!

A paciência que é pouca neste momento foi para o espaço e minha vontade era dizer meia dúzia de desaforos mais um milhão de palavrões. Então... respirando profundamente eu disse.
Não me importo com o que tu concordas ou não. Não tens que concordar comigo! Eu não quero o que estás me oferecendo e não quero que voltes a ligar. Oquei?
Ela me desejou boas festas e tals, com toda a vontade que possuía de me mandar pr'aquele lugar.

Como disse entendo que é o trabalho delas, mas agora elas estão faltando com o respeito. Dizem que a pessoa tem que ouvir até o fim para dizer que não quer um serviço. Eu acho que mesmo sem saber o que eles estão me oferecendo sei se quero ou não. Ou não? Acho falta de respeito ligarem nos horários mais inconvenientes, incluindo sábado de manhã. Minha mãe sabe se quero ou não um cartão e ela tem todo o direito de rejeitar este oferecimento em meu nome. Para evitar aborrecimentos deste tipo cadastrei o telefone fixo e residencial no Procon, espero que agora ninguém ligue oferecendo cartões de crédito ou coisa que o valha.

sexta-feira, dezembro 17, 2010

Apoiado!

Apoio incondicionalmente o projeto de Lei apresentado hoje ao Congresso Nacional pelos senadores Cristovam Buarque (PDT-DF) e Pedro Simon (PMDB - RS) que estende o mesmo percentual de reajuste dado aos parlamentares do Congresso Nacional aos professores da educação básica das escolas públicas brasileiras. Sou totalmente a favor, principalmente porque o salário de R$26 mil de um deputado federal paga o salário de pelo menos 15 professores. Isto já pelo valor reajustado pelos 61, 78%.
Sim, existem as custas trabalhistas que duplica o custo de um funcionário. Neste caso o salário de um dePUTAdo seria suficiente para pagar o salário mais as custas de sete professores.
Na minha modesta opinião os professores merecem um milhão de vezes mais do que os deputados. Começa pelo estudo, não se pode ser professor apenas sabendo ler e escrever. A maioria dos professores trabalha mais do que 20 horas, mesmo que esta seja a carga horária do contrato, pois precisa preparar aula, atualizar-se constantemente, corrigir provas... Algumas vezes, e estou sendo boazinha, não há estrutura adequada para dar aulas adequadas, em algumas escolas falta segurança, noutras as salas estão caindo aos pedaços. E justamente por conta do salário baixo os professores precisam atuar em mais de uma escola, sempre correndo contra o tempo, aproveitando o tempo de viagem entre uma escola e outra para ler, corrigir provas ou descansar.
Já os deputados... nós sabemos trabalham de terça a quinta, ganham casa, passagens aéreas para viajar para sua base política, muitas outras vantagens que elevam o salário, 13º, 14º e por aí vai. E não merecem. Para qualquer outra função existem pré-requisitos e para ser político precisa exatamente o quê?

quinta-feira, dezembro 16, 2010

Decepção com votos a favor do aumento!

Fiquei decepcionada ao ler o nome dos votantes pelo aumento de 62% para deputados federais, senadores, vice,  presidente da República e ministros. Minha decepção foi principalmente ao ler o nome do deputado federal, Fernando Marroni do PT ao lado do voto SIM. Sei que algumas pessoas, conhecidos e amigos meus talvez me critiquem por falar isto, mas o fato é que me sinto a vontade de externar meu sentimento já que já fiz campanha pela eleição do Marroni a prefeitura de Pelotas, e já votei nele. Como eleitora, conterrânea e cidadã demonstro a minha profunda tristeza em saber que seu voto foi favorável a um aumento absurdo destes. Sei que não é o meu único voto que fará diferença pra ele, talvez ele pouco se importe. Mas eu me importo de ter votado e apoiado uma pessoa que, pensava, tivesse os mesmos ideais que os meus.
Sou do tipo que acredita que "quem espera sempre alcança" e não do tipo que pensa que "se não pode vencê-los junte-se a eles".
Ainda bem que entre tantos que entregam os pontos por crerem não ter saída, existem alguns, poucos é verdade, que não cansam de dizer não aos absurdos e se mantém lutando pelo bem comum. É chocante saber que os deputados da Bahia e Minas Gerais dos dois estados com maior número de representantes no Congresso votaram todos, EU DISSE TODOS a favor do aumento, respectivamente 31 e 37 deputados. São Paulo, que possui o maior número de representantes, dos 42 deputados apenas seis votaram não e vou destacar seus nomes, são eles: Dr. Talmir (PV), Emaunel Chiarelli (PDT), Ivan Valente (PSOL), Jose Stangarlini (PSDB), Luiza Erundina (PSB).
Tristemente digo que dos representantes do meu estado Rio Grande do Sul apenas dois deputados foram contrários ao reajuste dos salários, são eles Luciana Genro (PSOL) e Paulo Pimenta (PT).
Não foi surpresa para mim que a bancada do PSOL toda votou contra o aumento. No post anterior tem um comentário do LuaBR que destaca isto e ressalta o quanto devemos apoiar os partidos pequenos como o PSOL. Eu apoio e destaco que meus votos nas últimas eleições foram para candidatos deste partido. Compreendo que o voto nulo ou em branco é a perpetuação,mas minha decepção é muito grande! Talvez eu vote, mas com certeza não será em ninguém que esteja concorrendo a reeleição. Para quem quer saber quem foram os candidatos, nossos representantes que votaram sim pelo reajuste em seus próprios salários, basta consultar o site Congresso em foco.
Como disse sou partidária do "quem espera sempre alcança" mas trabalho pra chegar lá.

R$ 26 mil, quem não quer um salário destes?

Minha revolta quanto a este aumento absurdo não ficará exposta apenas por aqui, podem crer que nas próximas eleições passarei a votar deliberadamente em branco. Nenhum deputado, vereador, prefeito, presidente ou seja lá o que for merece meu voto. Aquela frase que diz "se queres conhecer alguém dá-lhe o poder" é corretíssima. Os mesmos homens que defendem e PROMETEM melhores salários, trabalho, educação, segurança para o povo são os mesmos que estando lá no Congresso dizem, aumentar o salário mínimo pode quebrar a máquina pública. Investimentos na saúde? Vamos  ressuscitar a CPMF e no final das contas tudo continua igual, ou pior. Pessoas morrendo nas portas dos hospitais, medicamentos caríssimos e salários que não passam do meio do mês.
Eu pergunto aos "nobres" deputados qual tipo de funcionário que recebe, além do salário, auxílio moradia e a moradia, sem desconto? Qual deles trabalha menos de 30 horas semanais? Qual atividade profissional não realiza seu trabalho nos prazos estimados e é remunerada para realizá-los em regime extraordinário? Qual profissional que tendo sido transferido pela empresa na qual trabalha para outra cidade recebe desta as passagens aéreas para voltar toda a semana para rever sua família? Não vamos pedir tanto, qual empresa dá as passagens de ônibus? Os vales transportes, para quem não sabe, é uma obrigação da empresa, mas também são descontados do funcionário. Qual funcionário desinteressado, que não cumpre suas obrigações consegue aumento de salário?
O único motivo pelos quais esta camarilha se candidata é meter a mão no dinheiro e nos direitos do povo. As questões importantes para o cidadão comum não importam pra eles. Só o que importa é estar nos meandros do poder. O Tiririca não saber o que um deputado federal faz não me admira, pois ele veio do povo. Admirada eu fico quando os deputados são questionados sobre as leis que eles deveriam votar e eles sequer sabem do que se trata. É uma tremenda falta de respeito com quem vota neles. E os que poderiam se salvar, que são oposição, que são os corretos pouca adiantam. Uma maçã podre num cesto apodrece todas as outras que estavam boas. Infelizmente uma maçã boa num cesto de maçãs podres apodrece também.
São milhões de vozes pedindo um salário digno para os verdadeiros trabalhadores do Brasil e ouvindo que reajustar seus salários é impossível. No entanto, estas mesmas vozes se calam em saber que seus REPRESENTANTES (que cá pra nós só representam eles mesmos) aumentaram os próprios salários, que já eram exorbitantes sem considerar as ajudas de custo, em mais de 60%. Mas quem não quer um salário de R$ 26 mil reais? O Tiririca que é palhaço mas não é burro quis. O Romário e por aí vai. Todos querem só não querem é trabalhar, porque isto cansa e não dá dinheiro.
Não estou criticando Tiririca ou Romário, acho que eles estão certos, todo livro de autoajuda diz isto, vai atrás do que queres, pense positivo e trabalhe para isto. Eles foram eleitos pelos méritos deles, pelo carisma deles. Nós é que erramos quando votamos repetidamente em nomes como Michel Temer (nosso futuro vice presidente), Jader Barbalho (este coitadinho renunciou por conta de perseguições), José Sarney e tantos outros que já fizeram o desenho das suas bundas nas cadeiras do Congresso.
Nós somos os culpados, a culpa é toda nossa que acreditamos que "pior do que tá não fica"!

terça-feira, dezembro 14, 2010

Polêmicas e falta de tato

Quando eu escolho um candidato a qualquer coisa penso na sua capacidade intelectual, na ética, na moral, na competência e na sua sensibilidade em relação a assuntos que eu considero importantes, afinal de contas ele irá me representar, seja lá no congresso, na Câmara de vereadores, na prefeitura ou no condomínio onde moro.
Mas mesmo que o meu candidato não tenha ganho, e isto acontece sempre (desculpem amigos candidatos), fico de olho nos que venceram, no que fazem, no que dizem e nas ideias que defendem. Coerência e senso crítico são quesitos indispensáveis. Por isto me choco quando escuto, vejo ou leio declarações tão estapafúrdias e absurdas vindas políticos. Hoje o queixo caiu com a declaração do governador do Rio de Janeiro em defesa do aborto. Tem um ditado popular que diz: "o bom julgador por si se julga", quando ele questiona os empresários será que está rememorando algo do passado? A pergunta: "Quem é aqui que não teve uma namoradinha que teve que abortar?"  é no mínimo impensada.

Já falei a respeito do aborto por aqui, sou contra a realização porque existem métodos de evitar uma gravidez indesejada. Penso que se cidadãos abastados, como os empresários para quem Cabral falou passaram por uma situação destas, é porque foram no mínimo irresponsáveis, NO MÍNIMO! Junto com as mulheres que se submeteram a fazer sexo sem proteção ou que o fizeram por interesse na pensão.
A defesa pelo aborto legalizado não é para que as mulheres saiam por aí transando a torto e a direito e depois vão a uma clínica por conta do SUS realizar o aborto. Não! A defesa é para que pessoas de baixa renda parem de submeter-se a açougueiros em clínicas clandestinas, que causam além da morte do feto, muitas vezes a morte da mãe e a infertilidade.

O assunto é sério, é polêmico, envolve questões morais, religião e hipocrisia. Mas não é da forma como Cabral falou que se irá acabar com a hipocrisia. Ela existe sim, sabemos muito bem que muitos filhinhos de papai, no passado e hoje em dia, começam suas vidas sexuais com as secretárias do lar ou as filhas destas  e muitas vezes por coação ou por ilusão as moças caem na conversa fiada e situações como a questionada pelo governador do Rio acabam acontecendo, mas de forma bem abafada. A pergunta foi retórica, quem foi dentre eles que levantou a mão e disse que foi um canalha e enganou alguma mulher na vida, mesmo com a porca desculpa de que era jovem e não sabia o que fazia? Nenhum. Ninguém vai admitir uma coisa destas!
Aqui mete o dedo na ferida dos hipócritas e dos moralistas. Nós sabemos que estas coisas acontecem deste de o tempo do império, o senhôzinho deitava com as negras e seus filhos eram apenas bastardos mestiços para quem sobrava apenas o tronco e o chicote. Mas nem antes e menos agora alguém admitirá ter lançado mão de um método ilegal para se livrar de um problema. As pessoas preferem manter o esqueleto bem escondido no armário porque há a possibilidade de ninguém descobrir.

Eu me apavoro com a quantidade de adolescentes grávidas, porque os alertas estão por aí em todo lugar. A escola orienta, nos postos de saúde públicos existem orientação e material para prevenção. Mas infelizmente ainda não é suficiente. E conta aí um elemento muito peculiar do gênero feminino, as mulheres acreditam nas juras de amor dos homens. Elas se entregam, se iludem e esquecem que a prova pedida acaba crescendo dentro delas por nove meses. Acidentes acontecem, claro. Mas existe a pílula do dia seguinte. É cuidado que a mulher deve ter mais do que o parceiro, pois é o seu corpo e os filhos de uma gravidez indesejada, na grande maioria ficam com as mães. Os homens tem total responsabilidade. O ato é feito a dois, mas num país machista, ainda existe a velha história de que o homem veste uma outra camisa e continua o mesmo enquanto que a mulher, tenha tido o filho e lutado bravamente e sozinha por ele ou feito o aborto, ou apenas transado com alguém por quem sentiu atração ou amor fica marcada pra sempre.

Para admitir a hipocrisia primeiro há que se admitir o preconceito contra a mulher, o machismo latente e velado. É preciso mudar o pensamento machista, não só dos homens, mas de algumas mulheres que crêem que tudo é sua culpa, que diferenciam os filhos e filhas no momento da criação.  Uma mulher independente que não se apega às questões moralistas é apontada sim, sendo chamada de puta até frígida, passando por xingamentos e apontamentos absurdos pelo simples motivo de ser dona do seu nariz e não se dobrar a convenções sociais.
O sexo forçado dentro do lar também é uma das maneiras utilizadas como violência contra a mulher. E por ser ainda uma situação tão constrangedora denunciar vira uma decisão de vida ou de morte. Algumas vezes a demora nesta decisão acaba resultando na morte de toda uma família. Concordo com o governador Sérgio Cabral quando defende que o debate deve ser aprofundado. Tem que ser, precisa ser, é questão de saúde pública, não pode ser tratado como assunto de polícia, como um crime simplesmente.

Quanto à religião... a ela cabe cuidar das questões da alma e do espírito. Afinal admitem o livre arbítrio e fazer ou não um aborto é decisão de quem o fará, não do padre, do pastor, do guia espiritual ou do papa.

segunda-feira, dezembro 13, 2010

Futebol versus polícia e política

Quando estava na faculdade de Comunicação Social e um professor falou sobre a fragmentação da notícia, pensei: "que baita sacanagem desviar atenção das pessoas de questões importantes e que influenciam tanto sua vida para a novela das oito ou o futebol!". Já me indignava com o pouco tempo dedicado as notícias locais em relação ao que acontecia na capital. Me indigna ver o espaço enorme que se dá ao futebol enquanto as informações que precisamos saber são relegadas a segundo plano. Há muito tempo não assisto a televisão do Dr. Roberto Marinho, e é bem verdade que quando eles querem fazem coisas boas, como "Afinal o que querem as mulheres?" e os especiais dedicados aos grandes nomes da MPB como "Som Brasil." Mas meu pai gosta de assistir ao Jornal do Almoço, coisa que acabo assistindo também.
Hoje pra mim foi absurdo interromper a entrevista do futuro secretário de Segurança do Estado para mostrar o que estavam fazendo os colorados em Dubai. Isto é muito mais do que fragmentação da notícia, seria mais uma "estrassalhização" da informação. Certamente nem o próprio secretário devia lembrar do que estava falando antes de ser interrompido pela Cristina Ranzolin. É lamentável! O Santana cheio de vontade de perguntar o que seria feito para desafogar os presídios e me vem a "onda colorada". Tá certo que o futebol também é notícia, mas depois do dito jornal tem dois, eu disse DOIS programas dedicados a esportes um daqui, apresentado pelo Paulo Britto, que está nos Emirados Árabes e o do eixo Rio-SP, então qual a necessidade de interromper um assunto importante se o assunto da disputa do inter na Árabia seria tratado nos programas subsequentes?
Não entendo porque tirar as pessoas dos seus compromissos para ficar dois minutos, quando muito, em frente a câmera. As pessoas não conseguem se quer formular um pensamento simples e banal e a entrevista está sendo encerrada. Pra quê eu pergunto?
Acho um tremendo desrespeito com o entrevistado e com o telespectador. Um que perde seu tempo e não consegue falar dos projetos que pretende e do outro, que estava interessado em saber o que seria feito para a sua segurança, mas acabou esquecendo, pois o futebol tomou a frente. Como contestar quando dizem que o Brasil é o país do futebol e do carnaval, se qualquer um destes assuntos é manchete de capa, enquanto que absurdos são escondidos em notinhas lá pela página 18 do jornal?

sábado, dezembro 11, 2010

Sakineh, infelizmente a notícia não era verdadeira

"Que atire a primeira pedra aquele que não possui pecados". Este foi o argumento usado por Jesus, há muitos e muitos anos atrás em defesa de uma mulher acusada de adultério. Há quem acredite que ele não existiu, mas este não é o objetivo deste post. Eu acredito, principalmente por sua filosofia de amor e por sua coragem, afinal naquela época era a prática, e lá no Irã ainda é. O objetivo da pergunta era desacreditá-lo.
Sakineh ficou conhecida após sua condenação a apedrejamento depois de ser acusada de matar seu marido e cometer adultério. Após a comoção mundial a sentença foi mudada para enforcamento. Mas ninguém sabe a real verdade, não vamos saber se ela será realmente apedrejada, libertada ou apenas ficará presa.  Não se pode saber se quer se ela realmente foi cúmplice do homicídio do marido.
Ontem após uma notícia divulgada por uma ONG alemã sobre sua libertação, do filho e do advogado o mundo sorriu e chegou a sentir alívio pela mudança num ato de violência extremo contra uma mulher. O fato é que por lá, segundo uma advogada, os homens sempre vencem.
Costumes como o machismo são milenares e não fomentam nada de bom, apenas instiga a crueldade contra as pessoas que são diferentes. Machismo, homofobia, racismo são demonstrações claras de ignorância. Acabar com elas é uma luta dura e constante. Façamos como "Las madres de la plaza de Mayo" não vamos esquecer que preconceito é ignorância, portanto... lutemos de forma incansável.

sexta-feira, dezembro 10, 2010

Filosofias partilhadas

Minha dúvida persiste, mas não é apenas minha dúvida. O mesmo questionamento é dúvida de muitas outras pessoas. Compartilho aqui as minhas dúvidas, o que penso e o que uma amiga muito especial comentou a respeito.


lelibispo: Quantas outras Sakineh existiram e existirão sem que a gente saiba?
Camila Almeida - Parece que ela não foi libertada, né? Hj de manhã ouvi no rádio que uma tv estatal não confirma a libertação dela e q parece que tinha havido apenas a reconstiuição do crime!!! estranho haver reconstituição se os caras querem condená-la a pedradas...

Danieli Bispo Guadalupe - Sim, Teerã não confirma a liberação dela. Só a ONG Alemã que confirma a libertação dela, do filho e do advogado. Mas o que eu acho pior é ela ter sido condenada a 10 anos de prisão pelo envolvimento no suposto assassinato do marido e a apedrejamento por adultério. Quer dizer que se ela tivesse só matado o marido não teria sido condenada a apedrejamento???

Camila Almeida - É, tentar ser feliz (ainda que de forma omissa, se é q ocorreu) é mais cruel do que titar uma vida...

Danieli Bispo Guadalupe - É. Isto demonstra o quão ligados a "convenções" ainda somos, não ligamos para a vida, mas ligamos para o que os outros pensam...

Camila Almeida - Taí, se essa é uma cultura antiga, há muito tempo então a morte é banalizada e os bons costumes acima de tudo, mas sob um olhar distorcido, em casos como esse

Danieli Bispo Guadalupe - aham! A crueldade não enxerga de forma clara. Em nome de Deus, ou em nome da moral se fazem coisas que nem um nem outro aceitariam se fossem questionados.

quinta-feira, dezembro 09, 2010

Caso Bruno

O goleiro Bruno foi condenado a 4 anos e 6 meses de prisão por cárcere privado, lesão corporal e constrangimento ilegal (queria saber que tipo de constrangimento é legal?),e  seu comparsa Macarrão foi condenado a 3 anos. A pena difere porque Macarrão foi condenado apenas por cárcere privado.
Considero que por estes crimes até que a pena esta de bom tamanho, no entanto... se as investigações e o andamento deste processo tivesse sido mais ágil, quem sabe Eliza Samudio não estaria por aqui? É este tipo de morosidade, que sabemos não é apenas pelas questões legais, mas falta pessoal, estrutura, enfim... Eliza prestou queixa, denunciou na televisão, mas não lhe deram muita atenção. Quem sabe por machismo e preconceito, pois o argumento de todos que defendiam Bruno era de que ela era garota de programa, atriz de filme pornô e por aí afora. Talvez por o autor das agressões ser um atleta famoso, de destaque nacional. Ou ainda por ser algo íntimo, uma briga de casal, um desentendimento entre um homem casado e sua amante. Ou melhor uma DAS. Não importa o motivo a verdade é que o pior aconteceu. Eliza está morta, seu filho órfão de mãe e com o pai assassino na cadeia.
Agora é aguardar o júri popular que irá julgar o homicídio.

"O Sarney quer mais"

Ontem ao ouvir esta fala de uma repórter sobre os seis ministérios que a presidente eleita Dilma Rousseff deu ao PMDB eu pensei: óbvio que o Sarney quer mais! Mas este risco tanto o partido como a presidenta deveriam estar cientes, afinal o senador faz parte do governo há anos, de forma que acha-se dono das coisas. Pode parecer preconceito da minha parte, mas não é não. Durante minha pesquisa sobre a anistia e antes dela, quando pesquisei sobre a censura, lá estava Sarney sendo parte do governo, ora pela Arena,  ora pelo MDB. Gente, vocês tem noção de que os partidos eram completamente antagônicos né? Pois então, ele estava no governo quando a Arena era situação, depois não lembro exatamente, mas foi quase no final da ditadura militar foi pro MDB, manteve-se no governo. Acabou o regime e indicaram presidente e vice, quem estava lá???? Pois é, o presidente Tancredo Neves morreu e quem assumiu foi Sarney. Depois disso foram tantos cargos que é quase impossível pensar em Brasília sem lembrar do bigodão do Sarney. É capaz de ter gente que pense que quando fundaram Brasília ele já estava lá, coisa que eu não duvido.
Já fizeram denúncias envolvendo ele e sua família, e ele lá. Vários outros caíram, mas não ele.
E uma das coisas que me fizeram me decepcionar com o governo do presidente Lula foi justamente esta ligação com Sarney. É sabido que para fazer uma boa gestão é necessário negociar, barganhar. Faz parte da democracia. Mas negociar tudo bem, agora coligar-se considero demais, tanto para um partido quanto para o outro. Reconheço a história do PMDB, sei que foi uma sigla importante durante o período mais negro da história do país. Só não se pode esquecer que tem coisas que não podem ser admitidas.
Eu sei que o Anarquismo é algo bem utópico, no entanto para mim é a única e a melhor maneira de governar, não existir governo e todos serem governo. O que é bem difícil já que faz parte do inconsciente de muita gente o famoso "jeitinho". Como não podemos mudar, devemos então entender como funciona a democracia e como ela deveria funcionar, em verdade sabe-se que na democracia as decisões também são do povo tanto direta como indiretamente. É que os governantes esqueceram disso e só lembram na época das eleições, quando dizem que farão tudo pelo povo, depois esquecem.
Mas voltando as novos ministros da presidenta Dilma e a gula de Sarney...
Desta forma, conhecendo o histórico do senhor José Sarney e sabendo como as coisas acontecem nas negociações para cargos (com destaque redobrado pois estes cargos não são simples secretarias, mas ministérios federais e gente que terá um poder enorme nas mãos) não me admira nada, mas nadinha de que Sarney queira mais.
No lugar da presidenta Dilma eu ficaria muito ligada, afinal não é nada improvável que ele queira a cadeira dela. Eu confiaria... desconfiando, como dizem.

sábado, dezembro 04, 2010

Compartilhando

Quero compartilhar um texto meu no outro blog que tenho, acho que vocês vão gostar.
Leia "Elas gostam de apanhar" Nelson Rodrigues. Acessa o Luna em Fases.

quarta-feira, dezembro 01, 2010

Manuel Padeiro invade o Parque da Baronesa

Acontce hoje a abertura do 2º Festival Manuel Padeiro de Cinema e Animação no Parque da Baronesa, aqui em Pelotas. O evento vai até o dia 4 e apresentará curtas de ficção, curtas documentários, vídeos universitários, animações e videoclipes.

Todas as noites da mostra competitiva de hoje (1º) a 3/12 terá:
- Recepção com integrantes do Grupo Tholl
- Espaço-arte Manuel Padeiro, com esculturas do artista plástico Zezinho Santos
- Projeção de fotografias da realização do evento e vinhetas na parede do prédio da administração do Parque Museu da Baronesa
- Praça de alimentação do restaurante Fondo Blanco
- Loja do Festival com venda de artigos, camisetas e artesanato
- Fogueira em memória aos escravos
- Iluminação cênica aplicada no entorno do Parque Museu da Baronesa
- Massagem com massoterapeutas do Sítio Saracura durante as sessões para os espectadores
O festival ocorre a partir das 20h com apresentação do curta pelotense "Marcovaldo". Serão apresentados sete filmes concorrentes entre animações, documentários e ficção. Em caso de mau tempo o evento acontecerá no  auditório Dom Antônio Zattera (UCPEL), na Rua 3 de Maio esquina Rua Félix da Cunha. Amanhã pela manhã acontece o primeiro dia de coletivas com os diretores, das 10 às 12h. no Instituto de Artes e Design, a tarde acontece mostra paralela no Museu de Arte Leopoldo Gotuzzo. À noite a programação continua com apresentação de capoeira e a exibição de mais oito filmes.
Na sexta-feira, dia 3, seguem as entrevistas coletivas das 10h às 12h, também no IAD, pela tarde tem mais mostra paralela no MALG e a noite a partir das 20h no Parque da Baronesa a abertura da mostra é com apresentação um esquete de dança com o Grupo Odara, em comemoração aos 10 anos do grupo; e segue com a exibição dos filmes concorrentes do festival.
No sábado, pela manhã, como nos outros dias acontece a coletiva com os diretores e à noite acontece a grande premiação,  no Auditório Dom Antônio Zattera (UCPEL), com transmissão ao vivo pela TV UCPEL e cobertura do programa TV Cine da TVE, com Domício Grillo. Confira a programação completa do festival pelo site http://www.festivalmanuelpadeiro.com.br/.

"Se tu estás te fazendo a pergunta, "quem é este tal de Manuel Padeiro"? O site também responde, reproduzo logo abaixo o texto explicativo que está lá no site:
De volta ao Casarão do Barão de 3 Cerros. No mundo tridimensional, tudo o que é matéria se constrói e perece. Das pirâmides aos corpos, da pedra ao pó. Porque o tempo é absoluto, o espaço, relativo. Apenas sobra, entre nomes e ruínas, o grande rio da história, que vaga até o mar da contemporaneidade.


Manuel Padeiro era escravo, oriundo da Costa do Ouro, África. Em Pelotas, liderou o movimento quilombola e tornou-se uma referência quando se fala em liberdade e igualdade racial. O Zumbi dos Pampas, agora, empresta seu nome a um outro processo de libertação. Um grito sem dor, sem chibata, sem saladeiros... Pois a arte não está aprisionada a monumentos... a arte pulsa, enquanto houver humanidade."


Agora pega tua cadeira e vai assistir a mostra que começa hoje e promete!

Dia mundial de luta contra a Aids

Como ocorrem todos os anos o dia 1º de dezembro é marcado por manifestações de luta contra Aids no mundo todo. A conscientização, a informação e a camisinha continuam sendo as armas mais eficazes para previnir e proteger do vírus HIV. Muito se avançou em termos de medicação, o que dá uma qualidade de vida melhor aos portadores do vírus. No entanto, ainda não existe cura. Proteja-se e proteja quem você ama, use camisinha em todas as relações sexuais.
 
Abaixo reproduzo uma matéria da Agência de Notícias da Aids*, sobre a "Exposição do 1º Festival Internacional de Humor em DST e Aids "


O 1° Festival Internacional do Humor em DST e Aids foi lançado em agosto de 2004, por uma iniciativa do Ministério da Saúde e do Instituto do Memorial de Artes Gráficas do Brasil (IMAG). Foram selecionados mil trabalhos enviados por artistas de 50 países. A primeira exposição aconteceu no Centro Cultural do Banco do Brasil (CCBB), em Brasília. A exposição durou 10 dias e contou com a visitação de 10 mil pessoas. De acordo com o Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, a intenção foi oferecer à sociedade um instrumento a mais de engajamento de todos para impedir o alastramento do vírus e um meio de valorização das pessoas que vivem com o HIV.

O sucesso foi tão grande e houve pedidos de tantas cidades, que o Departamento de Aids transformou o festival em exposição itinerante. A ideia deu certo graças à parceria com coordenações estaduais e municipais. Com isso, mais de 200 mil brasileiros já viram as 300 charges selecionadas, entre as mil, para participar do Festival. Para esta exposição no Condomínio Conjunto Nacional, foram selecionadas 20 charges que estão entre as selecionadas pelo júri técnico.

Usar preservativo, não compartilhar agulhas e seringas, ir ao médico regularmente e fazer o teste de aids são conselhos dados a todo o momento. As pessoas precisam continuar a ser lembradas que esses cuidados são necessários para evitar a aids. Mas que não se repita a forma. Faça-se do humor o instrumento de fixação da ideia.

Tá Na Mão:

1º Festival Internacional do Humor em DST e Aids

Local: Galeria do Condomínio Conjunto Nacional: Av. Paulista, 2073

Data: de 29 de novembro a 20 de dezembro

Horário: das 7h às 22h

Produção Executiva: Agência de Notícias da Aids

Apoio: Merck Sharp & Dohme

Concepção e Idealização: Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais - Ministério da Saúde

Realização: Condomínio Conjunto Nacional e Agência de Notícias da Aids



* A reportagem foi publicada originalmente no site da Agência de Notícias da Aids. Leia mais notícias em: www.agenciaaids.com.br

segunda-feira, novembro 29, 2010

Violência no Rio de Janeiro

Todos tem uma opinião a respeito do que está se passando no Rio de Janeiro, uns chamam de guerra outros de terrorismo. Alguns defendem que a polícia deve matar todos os envolvidos, outros acreditam que prender os suspeitos seja o caminho certo e por aí vai. Eu não posso dizer nada a respeito, pois nunca fui ao Rio de Janeiro, nunca estive na cidade maravilhosa, sei o que vejo na televisão e o que me contam os amigos que moram lá ou estiveram por lá. As pessoas dizem que há perigo, mas onde, hoje em dia, não há perigo?
Claro que de todas as noticias que temos tido nos últimos tempos as das últimas semanas são as mais alarmantes e preocupantes. Não quero parecer injusta ou cruel, mas me parece que a preocupação aumentou mesmo quando o crime passou a acontecer de forma pesada no asfalto, como diz o pessoal que mora nas favelas. As pessoas que vivem nos morros e passam pela dificuldade de ter como vizinhos os traficantes e vivem sob o constante medo de que um grupo rival ou milícia invada a favela e comece uma disputa entre facções, continuam sendo as mais prejudicadas. E se as coisas não tivessem acontecido desta  forma, é bem provável que continuassem tentando dominar seu medo para levar suas vidas sem que ninguém olhasse para eles.
De tudo que li e ouvi falar sobre estes tristes dias no Rio pouco se falou em soluções, em atitudes para melhorar. A única unanimidade é que faltam políticas públicas efetivas que mudem a vida destas pessoas. Eles não querem caridade, aliás, não há porque caridade, pois são cidadãos com tanto valor quanto qualquer outro no país, precisam e merecem respeito.
A pergunta que me faço é: a polícia entrou nos morros, colocou os bandidos pra correr, descobriu bocas e laboratórios de refino de droga, encontrou muita droga, prendeu, depois de tudo isto o que irá acontecer? Qual será o próximo passo para que a vida destas pessoas realmente mudem?
Eu não tenho uma opinião sobre o que acontece no Rio de Janeiro, só acho que não é uma guerra o que acontece lá. Também acho que não é terrorismo é criminalidade. Sei que acontecem tiroteios, balas perdidas e outras coisas, mas creio que o Rio não seja a cidade do crime. Espero que a partir de agora ocorram políticas públicas mais eficazes e não apenas paliativos. E creio que o começo é pela educação de qualidade para todos.

quinta-feira, novembro 25, 2010

Lembrando que hoje é o dia de luta pelo #FimDaViolênciaContraAMulher

Depois de ler vários relatos de mulheres, guerreiras, que conseguiram sobreviver a violência doméstica e agressões de seus maridos/parceiros/amantes/namorados não consigo deixar de pensar naquelas que não tiveram a mesma sorte. Nos últimos anos aqui em Pelotas pelo menos dois casos me tocaram muito e não foram resolvidos, um por falta de provas e outro... não sei porque. São eles o caso da Sathália que foi enterrada viva na praia do Totó e o de Aline Specht Lima morta em julho deste ano.
Existem muitos outros casos, milhares de mulheres pelo mundo que por medo ou vergonha deixam de denunciar os abusadores e continuam, noite após noite dormindo com o inimigo. Logo quando aconteceu a morte de Aline escrevi este post publicando um email que recebi.  Hoje dia de luta pelo #FimDaViolênciaContraAMulher acho que cabe bem!

Dia do doador de sangue - Não precisa ser herói para salvar vidas, basta ser solidário

Na data em que comemora o Dia do Doador de Sangue o Hemopel terá uma programação especial. Os 100 primeiros doadores de hoje receberão camisetas oferecidas pela Hemorrede Pública do Rio Grande do Sul. Além do lanche

que sempre é oferecido os doadores receberão um bombom.
Tu não precisas ser um herói para salvar uma vida, basta estender o braço e deixar fluir das tuas veias sangue que colorirá a vida  de que m necessita tanto.
Para ser um doador de sangue é preciso ter entre 18 e 65 anos, estar gozando de boa saúde, pesar no mínimo 50 quilos, não ter ingerido bebida alcoólica  nas últimas 12 horas. Caso seja fumante, é preciso estar a pelo menos duas horas sem ter pitado.
Leve um documento com foto até o Hemocentro de Pelotas, que fica na Av. Bento Gonçalves, 4569 das 8h às 21h, sem fechar ao meio-dia.  O procedimento para doação dura aproximadamente meia hora. Informações podem ser obtidas pelo telefone é 53 3222-3002.
Mesmo que tu não possas comparecer hoje ao Hemopel, não deixe a ideia morrer compareça quando puder, pois a necessidade de sangue de todos os tipos é constante. Vá lá e faça a sua boa ação de hoje!

quarta-feira, novembro 24, 2010

#Fimdaviolenciacontramulher

Amanhã é o dia marcado para manifestações pelo #fimdaviolenciacontramulher. Apóie esta ideia, independente do teu gênero. Use lilás.

Internação na Fundação Casa é o mínimo

Os menores que agrediram um grupo de rapazes na Paulista em São Paulo foram condenados a internação na Fundação Casa (EX-FEBEM). A decisão foi do juiz da 1ª Vara da Infância e Juventude  de São Paulo, a pedido do Ministério Público Estadual. Como a decisão é em primeira instância com certeza os advogados já devem ter recorrido da decisão e entrado com habeas corpus. Gostei muito da opinião de Lourenço Cavalcanti, na Brasileiros. Ponto de vista claro e opinião firme.
Mas a homofobia é uma ameaça real, a Parada livre de Porto Alegre recebeu ameaças de um grupo neonazista. Sinceramente, sempre tive a impressão de que quem tem esse ódio todo de homossexuais é porque tá tentando reprimir seus sentimentos. Cá pra nós, posso bem estar dizendo uma grande besteira, mas é uma patologia séria e grave. Na capital do estado foram assassinados dois travestis, fora aqueles que são agredidos e não apresentam queixas.
Que mundo é este?

terça-feira, novembro 23, 2010

Os absurdos de um país que diz não ter preconceitos

Eu digo sim que não tenho preconceito, sem medo de estar  sendo hipócrita, até porque, já levei e levo muita pancada por conta da minha sinceridade. Quando não gosto de algo que vejo, ouço ou até mesmo penso, demonstro na face o desagrado. É ruim, é muito ruim, mas não posso ser acusada de cínica. O fato é que sou pobre, me criei numa família simples, mas de valores morais e éticos fortes. Tão fortes quanto misturados, é misturados sim, assim como 90%, ou seriam 100%, da população brasileira. Aliás, seguido digo isto não existe por aqui nem negro puro, tão pouco branco, depois que o Cabral chegou a mistura foi o que reinou, pra nossa sorte. Afinal tenho certeza de que é a mistura que faz do brasileiro um povo bonito. No entanto... infelizmente, e apesar de toda a mistura ainda tem gente que guarda preconceito pela cor da pele ou pela nacionalidade, embora jure de pés juntos que não.
É esta negação que torna o que uns dizem sinceramente uma hipocrisia total. Porque sim, eu não tenho preconceito, qualquer que seja, mas não posso garantir que aqueles que convivem comigo compartilham do mesmo pensamento. Aliás, alguns dizem claramente que tem preconceito. O que eu deveria fazer com eles? Discriminar como eles fazem? Não, eu não tenho preconceitos e muito menos a pretensão de mudá-los. Afinal... só a vida pode mudar a gente, através da gente mesmo.
Uma vez conversando com uns amigos chegamos ao assunto do preconceito. Eu defendia que embora a maioria das pessoas negassem ainda havia preconceito de cor e que este era o mais visado por causa da postura, corretissima, daqueles que denunciam o crime. Foi ai que um amigo meu trouxe um argumento que realmente não tive como refutar. Ele disse que hoje em dia existe sim inúmeros tipos de preconceitos, mas nenhum é tão forte quanto o da classe social.
Analisando a fala do senhor Luiz Carlos Prates, tão comentado nos últimos dias, tenho que dar, mais uma vez a mão a palmatória e concordar. No entanto, embora o preconceito contra os pobres seja enorme, a violência física ainda ocorre mais quanto voltada para outros tipos de preconceito.
Fico chocada com os argumentos usados pelas defesas dos agressores para tentar convencer que a violência não foi por este ou aquele motivo. É homofobia, é violência contra a mulher, é porque é pobre, é porque é nordestino, é porque é negro, ou índio, é porque é torcedor do time tal. Tá na rua, tá no jornal e com certeza saiu de dentro das casas. Porque nenhuma criança ou adolescente vai expressar tanto ódio contra uma coisa ou pessoa que mal conhece se não vê isto no cotidiano. Se não entende tal coisa como normal, ou melhor como ANORMAL.
O que é o bullying?  Nada mais do que a expressão do preconceito contra os "mais fracos". Eu sofri bullying quando criança, aliás, sofro até hoje, afinal eu não cresci muito, mas nunca fui fraca, pelo contrário, encarava os agressores. Até porque, como disse neste post aqui, tô mais pra incrível Hulk do que pra Mulher Maravilha. Concordo com a Nani People, quando ela diz que "só fazem com a gente o que deixamos que façam". É a pura verdade, mas quando a coisa passa a ser uma corrente de pensamento geral, é difícil de lutar contra sozinho.
O que mais me choca é a irracionalidade, a falta de motivos com que agem estes agressores e mais ainda com os argumentos, que me indignam absurdamente, dos pais e advogados que os defendem. Não me sai da cabeça a fala da mãe de uma daquelas criaturas que agrediram três rapazes na avenida Paulista em São Paulo com lâmpadas fluorescentes. Ela disse que eles eram "meninos de 16 anos e que estavam lá dentro chorando"! Quer dizer, temos que ter pena deles? Eles golpearam um dos rapazes no rosto, sem mais nem porquê.
Realmente eu tenho pena deles, afinal, eles não receberam noções de certo e errado, tampouco limites. E continuarão fazendo coisas erradas, pois os pais tratam o ocorrido como se não tivesse sido nada, como se fosse apenas uma brincadeira.
Uma testemunha afirma que os garotos agrediram porque o grupo era homossexual.  Mesmo sabendo que a culpa de eles serem assim vem da má criação que tiveram, eles devem responder pelo que fizeram, devem ser responsabilizados sim, menores ou não. No entanto, eu, como uma grande parte da população não crê que isto irá acontecer, afinal de contas os mocinhos são da classe média e devem, no máximo, pagar umas cestas básicas e pronto. A esperança vai se esvaindo, estou perdendo a fé, principalmente se as questões envolvem política e grana. Aí mesmo que a esperança está mortinha da silva!
Há alguns anos, antes de toda esta balburdia, ódio e violência contra homossexuais, nordestinos, pobres, negros e as ditas minorias estarem tão fortes, havia uma campanha na televisão que questionava "aonde tu guardas o teu preconceito?". Em cima deste questionamento, em 2006 escrevi um texto reflexivo a respeito do que penso sobre o preconceito.
Mesmo sem muita fé eu continuo fazendo as coisas da forma como aprendi, o que é certo é certo e o que é errado deve ser punido, pois a vida é assim, se erras ela te cobra, mais cedo ou mais tarde.

quinta-feira, novembro 18, 2010

Mobilização para aumentar os próprios salários

Os nossos parlamentares são muito intrigantes, mal acabou a campanha política e eles estão fazendo tudo aquilo que diziam combater. Entre estas coisas esta a mobilização para votar o aumento dos próprios salários, que diga-se de passagem, já é bem polpudo.
Não fique esperando que eles se mobilizem para votar o aumento do salário mínimo para Janeiro ou que votem o projeto de lei do Senador Cristóvão Buarque para que todos os políticos eleitos matriculem seus filhos em escolas públicas.
a verdade é que eles só se mobilizam para FERRAR COM O POVO! Infelizmente não acredito mais neste modelo democrático de representação. Sinto que estou virando anarquista!

quarta-feira, novembro 17, 2010

Aviso colado com "superbonder"

Cada dia que passa assistimos em telejornais, ouvimos no rádio ou lemos nos exemplares impressos ou digitais dos diários do país as mais estarrecedoras notícias de agressões, abusos e desrespeito. O primeiro e grande de que tenho lembrança foi a morte do índio Galdino Pataxó, que dormia em uma parada de ônibus em Brasília e foi queimado vivo no dia em que o Brasil comemora o dia do Índio. Vejam a ironia. Muitos anos se passaram e de lá para cá houve mendigos queimados, profissionais do sexo espancadas na rua, empregadas domésticas sendo agredidas de forma violenta, com o argumento de defesa dos agressores de que acreditavam se tratar de uma prostituta; homossexuais sendo assassinados simplesmente por terem feito uma escolha sexual diferente destas criaturas, que podem ser tudo, menos humanos.
De todas estas situações e muitas outras das quais a maioria das pessoas acaba esquecendo, após o estardalhaço do momento feito pela mídia, sabemos que a punição dos criminosos fica por isto mesmo. Mesmo sendo reconhecidos pelas vítimas, mesmo tendo agido de forma cruel, alguns crimes foram penalizados com o pagamento de cestas básicas e fim. Não houve exemplo para que coisas horríveis como esta não se repitam. Nem teve respeito pelas vítimas, que tendo sido abordadas na rua ficam com o trauma sem saber como farão para voltar as suas vidas após o episódio. Isto para as que sobreviveram, outras, como o índio Galdino não terão sequer a chance de tentar seguir adiante.
Em Ribeirão Preto um homem foi agredido e teve os lábios colados. A vítima declara não conhecer os agressores, mas isto não parece uma agressão sem razão. No site do Terra um dos comentários deu detalhes do fato ocorrido como uma possível vingança de traficantes, que acreditam que o rapaz e seu pai, um policial militar aposentado, fizeram denúncia contra eles. A agressão e os lábios selados com super cola seria um aviso para o "alcaguete".
Aonde vamos parar?

Silvio Santos quer dinheiro

Coisa inusitadas acontecem quando menos se espera. Um "rombo" financeiro em um banco na qual Sílvio Santos é o maior acionista acabaram deixando vários telespectadores preocupados com a situação de um dos maiores e mais bem sucedidos empresários brasileiros. Durante muitos anos a frase "quem quer dinheiro?" foi para diversas famílias como um hino aos domingos de noite. Há alguns dias atrás foi Sílvio quem pediu um dinheirinho para garantir seu empreendimento, como garantia deu sua rede de tevê e mais várias empresas. Resultado disso uma enxurrada de cartas de telespectadores e fãs oferecendo ajuda a Sílvio.
As ofertas vão de perguntas sobre como ajudar até o questionamento sobre de que forma ajuda mais se comprando telesena ou carnês do baú. O argumento dos que oferecem auxílio a Sílvio Santos é de que o empresário já auxiliou a muitas pessoas durante anos. Ainda existe a possibilidade de que Sílvio precise vender o SBT, mas ele diz que fará tudo que for preciso para não ter que fazê-lo, agora é esperar o desenrolar dos fatos.

quinta-feira, novembro 11, 2010

Pelo email: "A TIRINHA QUE EMOCIONOU O MUNDO!"

Quando você era bem pequeno...













....eles gastavam horas lhe ensinando a usar talheres nas refeições...


.... ensinando você a se vestir, amarrar os cadarços dos sapatos, fechar os botões da camisa...


Limpando-o quando você sujava suas fraldas lhe ensinando a lavar o rosto, a se banhar, a pentear seus cabelos...





....lhe ensinando valores humanos...







Por isso...



....quando eles ficarem velhos um dia...e seria bom que todos pudessem chegar até aí (não preciso explicar...não é?)




....quando eles começarem a ficar mais esquecidos e demorarem a responder....






....não se chateie com eles...



....quando eles começarem a esquecer de fechar botões da camisa, de amarrar cadarços de sapato...



....quando eles começarem a se sujar nas refeições...



....quando as mãos deles começarem a tremer enquanto penteiam cabelo...



....por favor, não os apresse...porque você está crescendo aos poucos, e eles envelhecendo...



....basta sua presença... sua paciência... sua generosidade... sua retribuição...



....para que os corações deles fiquem aquecidos...



....se um dia eles não conseguirem se equilibrar ou caminhar direito...



....segure firme as mãos deles e os acompanhe bem devagar respeitando o ritmo deles durante a caminhada... da mesma forma como eles respeitaram o seu ritmo quando lhe ensinaram a andar...



fique perto deles...assim como...



....eles sempre estiveram presentes em sua vida, sofrendo por você... torcendo por você...







e vivendo "POR VOCÊ"




PS.: A gente copia tanta coisa de fora, que não precisava! Que tal imitar o respeito dos povos orientais pelos idosos, que é admirável? Tá faltando respeito no nosso dia-a-dia, mas se cada um fizer a sua parte tudo fica muito melhor. Recebi o texto e os desenhos por email com o título: "A tirinha que emocionou o mundo!".

Erramos

Um leitor assíduo e grande amigo, Andrio Stein, me alertou para a pequena confusão e pelo erro que cometi ao trocar o nome da emissora que passa o telejornal "Balanço Geral". A confusão aconteceu porque lá em casa assistimos os três jornais que passam ao meio dia, Jornal do Almoço, na RBSTV; o Balanço Geral, como bem lembrado pelo Andrio na Rede Record e o SBT Rio Grande, com Rafael Rocha.
Peço desculpa aos leitores pelo engano. E aproveito para agradecer ao Andrio pela colaboração.

terça-feira, novembro 09, 2010

Mil coisas!!!

Tantas coisas acontecendo por aí a fora e eu presa no trabalho. O que é uma coisa boa, afinal é melhor a correria do que não ter trabalho. Mas acabo tendo que deixar a escrita, que eu amo, um pouco de lado.
Vou começar falando das coisas boas que observei de passagem pelos telejornais, jornais e internet.
Primeiro quero falar do jornalista Carlos Nascimento, de quem eu  já era fã e fiquei ainda mais e que deu entrevista ontem a noite a Marília Gabriela. Gostei muito do que ele falou em relação a ex-ministra e presidenta eleita Dilma Rousseff e do comportamento da mídia pós-eleições.
Ele falou, não com estas palavras, que, ao contrário do que as pessoas possam pensar Dilma não será uma "marionete" do presidente Lula. Estas palavras são minhas, óbvio, Nascimento falou de forma muito mais elegante e polida. Concordo com ele! Realmente as pessoas estão equivocadas quando pensam que ela será "comandada" por Lula. Demonstra que não observaram a história de vida da presidente, pois as escolhas de feitas por ela demonstram claramente sua personalidade forte.
A opção pela guerrilha armada, a própria luta contra o câncer demonstram  que ela é uma mulher forte que não se deixa dominar. Por mais que não gostem "eles" terão de admitir que ela é sim uma vencedora e uma mulher de personalidade.
Outra coisa que achei importante na fala dele foi a resposta a pergunta sobre como ele via as manchetes da imprensa ainda citando as opiniões, ou melhor dando ênfase mais a opinião de Lula quanto os possíveis ministros do futuro governo Dilma.
Nascimento respondeu que o comportamento era natural, afinal desde a campanha adotaram esta linha. Também gostei do que ele falou a respeito dos recém formados no jornalismo, destacou a imaturidade e do pouco interesse dos jovens em começar de baixo, ralando, amassando barro e aprendendo a fazer jornalismo, antes de ir pra bancada apresentar telejornal.

Feira do Livro em Pelotas,
Sou suspeita em falar de feira do livro e de livros, afinal adoro ambos. Mas mesmo sendo uma apaixonada pelas visitas, pela observação dos livros sob os jacarandás e os ipês da Praça Coronel Pedro Osório, devo dizer que estou um pouco decepcionada com a feira. Não vejo grandes vantagens nos descontos que temos. No entanto, a parte cultural e as apresentações continuam com qualidade. Assisti no sábado dois shows no palco da praça de alimentação, no Largo do Mercado Público com música da melhor, EU DISSE DA MELHOR QUALIDADE. O primeiro show da noite foi com Carise Santos sambas muito gostosos de se ouvir, pena que faltou espaço para dançar. O encerramento foi com "Pelo telefone", banda muito legal  de samba e chorinho.
No domingo assisti uma emocionante apresentação de dois estudantes do Sinodal Alfredo Simon tocando violino. Maravilhosas apresentações!!!! Projetos como estes deveriam ter muito mais apoio e divulgação.

violência na escola e no trânsito
Fiquei horrorizada com as cenas de violência que que assisti no "Balanço Geral", do SBT hoje. Duas meninas simplesmente se surrando violentamente como dois estivadores.Com a diferença que os estivadores, quando lutavam nos portos, no passado, faziam com o intuito de ganhar uma graninha. As gurias, sabe-se-lá... Também apareceu um grupo de rapazes que em consequencia de uma discussão no trânsito, fez de um cruzamento um ringue.

Padre tarado?
No top five Brasil do CQC de hoje foi mostrado o padreco, em plena "fornicação" com uma funcionária da paróquia. A funcionária foi demitida e declara estar grávida do eclesiasta. As cenas que foram apresentadas foram feitas pelo marido da moça. Ela diz ter sido abusada. Eu fico pensando, sendo ela uma mulher, casada, não teria sido melhor ela ter denunciado o padre ao invés deixar a situação chegar a este ponto? E a igreja, quando chegará a conclusão de que algumas coisas precisam ser revistas?
Argumentar que os dogmas da igreja são incontestáveis é apenas negar a realidade.

Enem
Depois do problemão que ocorreu com o "vazamento" das provas no ano passado, este ano acontece a polêmica ficou em função de um erro de impressão. Existiu um erro, um erro que poderia ser evitado se houvesse um pouco mais de atenção em relação as provas, mas, por outro lado, não é algo tão grave.
Eu não vi os cartões respostas, nem as provas e não tenho nem ideia de como é uma prova do Enem, mas pesando pelo lado prático, as respostas geralmente são de múltipla escolha. Desta forma, creio que não ocorrerá nenhum erro, a menos que se haja de má fé no momento da correção.
Afinal de contas se a resposta das questões de um caderno é a letra A, o fato do título ser outro não mudará a resposta de lugar. Ou estou completamente errada?

Bem, tenho muito mais coisas sobre o que falar, pena que o tempo está curto. Em breve novo post, sobre tudo que vejo e penso no mundo. Falando em vi... visitem os blogs e sites que indico ali do lado. Tem muita coisa boa!

quinta-feira, novembro 04, 2010

Continua faltando respeito

Eu não consigo conceber que tipo de coisa é o preconceito. Não sei se é falta de educação, se é ignorância, se é uma arrogância tão grande que faz com que alguém se sinta tão melhor que os outros que possam, simplesmente, menosprezar e destratar as pessoas; as humilhando e fazendo mal. Mas sei, com certeza de que é uma tremenda falta de respeito para com o outro. Acreditar que é de uma "raça" superior, quando por aqui a única raça que existe é a humana, já é uma tremenda demonstração de ignorância. Estas certezas de que se É MELHOR, que se É ESCOLHIDO, já foram, e infelizmente ainda são, desculpas para barbaridades. Hitler acreditava ser de uma raça superior, por isto matou e perseguiu milhares, milhões de judeus e deficientes. Acabou, no fim das contas, tomando uma atitude bem covarde e fugiu pro outro mundo. O apartheid, foi outra "tentativa" de separação que causou dor, sofrimento e mortes.
Aqui no Brasil várias pessoas enchem a boca para dizer: "somos um país mestiço, aqui não há preconceitos", mas... Sabemos que há muita hipocrisia por aí e esta pseudo paz e respeito por todos está longe de ser unanimidade. Ainda existem pessoas, como a estudante de Direito Mayara  Petruso, que não aceitam perder e trazem escondidinho seu preconceito. Ela falou dos nordestinos, bem podia ter falado de mineiros, gaúchos, enfim. Não importa! O que importa é que o povo brasileiro deu a ela a resposta que merecia.
Também adequada foi a posição da OAB - PE, que a está processando por suas declarações absurdas no site de relacionamento twitter.
O dia foi super tumultuado para mim, não havia entrado no twitter e quando entrei estava aquela polvorosa, umas amigas minhas revoltadíssimas com o comportamento desta moça. Eu fico pensando, uma pessoa como esta deveria ter levado umas palmadas, mas isto não pode mais. Deveria ter ficado de castigo, devia ter tido menos vontades feitas.
O que sobra de uma situação destas? Na minha modesta opinião, vergonha para os pais, muita vergonha, porque preconceito começa a ser combatido em casa e passa por saber respeitar os outros. Para ela, bem... até onde sei a principal arma dos advogados é a capacidade de argumentar e convencer pela palavra. Ela convenceu e até arrebatou apoio a sua causa, só que da maneira errada. Desta forma como agiu seria ré, nunca advogada.

quarta-feira, novembro 03, 2010

"Deus castiga!"

Não se pode dizer que é providência divina, na verdade, talvez o dito que mais se adecue a estes fatos que irei relatar seja, "quem procura acha". Mas "Deus castiga" tem uma força maior, e está sempre na boca do povo quando queremos alertar alguém que está prestes a fazer algo de errado. Dois ladrões (ou seriam assaltantes?) em casos diferentes, acabaram morrendo em consequência dos seus atos ilícitos.
O primeiro caso ocorreu em Caxias do Sul o ladrão já havia preparado uma grande quantidade de produtos agrícolas, quando ficou preso numa câmara frigorífica e acabou morrendo. Haviam duas câmaras frias, uma desligada e a outra aonde estavam armazenadas maçãs e na qual foi encontrado o corpo de "Bruxo". Há suspeitas de que mais pessoas estejam envolvidas na tentativa de roubo.
O segundo caso, aconteceu em Porto Alegre na subestação da CEEE, que abastece o sambódromo. A morte foi em decorrência de uma descarga elétrica. O objetivo era roubar os fios de cobre. O ladrão foi encontrado  na manhã de hoje, por funcionários que foram fazer uma vistoria. A suspeita é de que a morte tenha ocorrido ontem a tarde, no momento em que faltou luz.
Ambos os casos acabaram tocando algumas pessoas, outras dizem, bem feito encontraram o que procuravam. O fato é que  além de arriscar-se praticando atos ilegais, os dois rapazes agiram de forma imprudente atuando em locais perigosos e, porque não dizer, fatais?
Durante o tempo que trabalhei na Coprel participava de palestras junto com um dos meus chefes, o querido Júlio Hentges. Foi durante as pesquisas para organizar as apresentações e nas próprias conversas com colegas que descobri que a maior parte dos acidentes fatais com eletricidade acontecem na "baixa tensão". Em outras palavras, a grande parte das mortes por "eletrocução" ocorrem nas redes de 220V, ou seja dentro de  casa. E porque? Porque para mexer na alta tensão os trabalhadores utilizam equipamentos de proteção, todos devidamente preparados para não passar corrente. Já em casa, não há tanto cuidado, algumas pessoas fazem reparos sem desligar a eletricidade. Entre outras coisas.
Imprudência, maldade, criminalidade... Não faz coisa errada meu filho, porque "Deus castiga" e abre teu olho, porque "quem procura... acha"!

sábado, outubro 30, 2010

Tá faltando respeito!

Pode parecer antiquado falar assim, aliás, sempre contestei minha mãe quando ela exaltava o passado dizendo no meu tempo não era assim, mãns... observando alguns acontecimentos sou obrigada a parafrasear a véia. Não concordo com a política do medo, quando as pessoas não falam pelo perigo ou a certeza das represálias. No entanto, o que vejo não tem nada de temor e passa longe, muito longe do respeito.
Quando eu era criança e chamava meu pai de TU ou discordava de alguma coisa com ele, tanto minha mãe quanto ele diziam "no meu tempo, ai de mim que falasse assim com meu pai, o respeito estava no olho!". Atualmente, assistindo as notícias ou vendo o comportamento das crianças e adolescentes nas ruas, eles dizem: "hoje, os pais ficariam vesgos, os olhos saltariam das órbitas e o filho, ainda assim não obedeceria". Ainda contesto quando ela diz que tinha que voltar a Ditadura Militar.
Concordo com ela de que não há respeito e isto não ocorre só das crianças para os mais velhos. Acontece dos adultos com os idosos, entre os adultos e os adultos no trânsito, dos jovens com os jovens nas escolas, faculdades. Os cidadãos não respeitam as autoridades legais e estas autoridades, por sua vez, não respeitam os cidadãos e não se dão ao respeito. Claro, há exceções. Poucas.
Quando acontece de uma "autoridade" cobrar uma posição decente e de respeito para com os outros, acaba virando polêmica, como aconteceu com aquela professora lá de Porto Alegre que fez o aluno limpar as paredes da sala que os PAIS haviam pintado voluntariamente.  Os pais do guri consideraram aquilo um abuso infantil. Chocaram-se, processaram a professora, mas não disseram a ele, ou em frente as câmeras de tevê, nenhuma declaração de que o filho agiu errado sim e ia ser responsabilizado pelo seu ato. Os pais desautorizaram a professora, vários outros alunos ficaram contra, mas, quem sabe o que é respeito e que a vida não dá moleza pra ninguém, apoiou a professora.
A questão não é castigar fisicamente as crianças, não é nada disso! Já falei algumas vezes sobre isto, o fato é que existe legislação que protege as crianças e os adolescentes, mas eles se sentem apenas protegidos. Eles não tem nenhuma obrigação, ou melhor, dever. Desta forma parece que suas vidas serão uma grande barbada, como costumam dizer. Os pais fazem das tripas coração para dar aos filhos tudo que não puderam ter. Acontece que a falta de limites e a superproteção acaba  gerando egoísmo.
Falta respeito sim! Falta educação. Ter preconceito com cor, gênero, tamanho é uma demonstração clara, primeiro, de ignorância e segundo de falta de respeito pelos outros. Fiquei extremamente escandalizada, triste (sei lá como descrever!) quando vi no twitter da Preta Gil o link para uma matéria falando de uma "brincadeira" muito idiota chamada "rodeio de gordas". Chamar de brincadeira, pular sobre as pessoas e agredi-las é, no mínimo absurdo!
É exatamente o argumento que os meninos de Brasília usaram para se defender quando tacaram fogo e mataram o Índio Galdino Pataxó. É muito triste! E acho triste porque na verdade aqueles caras não pagaram uma pena condizente com o crime.
O mais grave é que, de modo geral, os brasileiros não acreditam na punição, não crêem que os criminosos sejam responsabilizados, a menos, é claro, que sejam pobres. Quando presos ou incriminados os culpados não são recuperados, porque não existe forma de recuperar uma pessoa que errou trancando-a numa sela de 2x2 com mais 20, 30, 40 presos, insalubre. Estes dois exemplos são de coisas graves, que chocaram e foram debatidas por todo o país, mas que logo caíram, ou cairão no esquecimento. Por outro lado, questões diárias, como o bullying nas escolas, como as agressões verbais entre casais, a violência no trânsito, enfim, o desrespeito de coisas básicas acabam sendo tidos como coisas normais. Não é normal agredir e xingar o tempo todo. Comece a prestar mais atenção em ti mesmo, perceba se ao sair da garagem com o carro e chegar a esquina tu consegui ir sem se irritar e xingar ninguém. Observe melhor suas atitudes, respeite-se, este é o começo de tudo.

PS.: Pessoal, desculpe se viajei demais, este tema é muito instigante pra mim. Admito meus deslizes antes de mais nada. Não quero determinar nada, apenas quis refletir sobre coisas que ocorrem no dia-a-dia e nos afetam diretamente. E passam sim, passam pelas questões que os candidatos falam e falam em seus discursos, passa pela educação, pelo respeito ao próximo e por aí vai...
Comentem, mesmo que a gente discorde o comentário será publicado. Apenas não são publicados ofensas! Obrigada!

quarta-feira, outubro 27, 2010

Obtuários

Morreu ontem Romeu Tuma, ex-delegado e senador, será sepultado hoje.
Hoje morreu Néstor Kirchner em consequencia de um ataque cardíaco.

segunda-feira, outubro 25, 2010

Vladmir Herzog

Há 35 anos atrás morreu o jornalista Vladmir Herzog. Vlado, como era conhecido, foi morto após ser convocado para esclarecimentos sobre seu envolvimento com o Partido Comunista, foi torturado e morto nas dependências da DOI-CODI. Neste período o Brasil vivia dias negros. Perdoem o lugar comum, mas ainda, mesmo com muita pesquisa, ainda não consegui encontrar outra maneira de descrever o período da Ditadura Militar, que foi sangrendo aqui e em tantos outros países da América Latina.
O assassinato de Vlado (pois não há outra forma de denominar tal acontecimento) foi determinante para o fim da ditadura militar.
"Lembrar para não esquecer. Lembrar para não repetir". Creio que esta  frase representa bem a importância da apresentação da reportagem especial que será apresentada hoje, no Jornal da Cultura às 20h 50min e lembra os 35 anos da morte do jornalista Vladimir Herzog, como já dito, morto pela Ditadura.

sábado, outubro 23, 2010

Sapo vira rei vira sapo

Fiquei em dúvida se este texto tem mais a ver com este blog ou com o outro. É que neste procuro colocar apenas as coisas de opinião, meus estudos, minhas pesquisas e no outro Luna em fases  no qual conto histórias, lembranças e algumas fantasias. Resolvi contar  aqui porque talvez esta peça de teatro tenha sido muito importante para a minha formação crítica enquanto eleitora. Claro que junto a estas peças também havia os ótimos programas da TVE, que eram os educativos mais legais do planeta. Bambalalão, Pandorga, Cocoricó, e assim por diante. Ainda bem, que alguns resistiram as mudanças. Sinto pena mesmo é de não conseguir assistir a programação da teve, já que esteve fora do ar por vários meses aqui no Estado e agora, voltou, mas ainda está com o sinal muito ruim. E como eu não tenho tv a cabo nem parabólica, assim como milhares de pessoas, fico refém da programação dos canais abertos. (Na verdade não fico refém nada, porque tenho assistido muito pouca tv).

Voltando a lembrança que tive do teatro... Lembro perfeitamente da minha fascinação entrando no Teatro Sete de Abril!!! Nunca vou esquecer como fiquei impressionada com aquele lustre gigante pendurado no meio do teatro. O coração pulsava numa excitação tamanha, que mais um pouco saia aos pulos pelo chão do Sete. Fui com o colégio, o teatro estava lotado, crianças de várias escolas. Ficamos num camarote, via o lustre bem na minha frente e aquelas contas brilhantes. As cortinas vermelhas fechadas não nos deixavam antever o espetáculo, até que entra a "menina" no cenário, se não me falha a memória brincando com uma bola. Era a princesinha, a bola lhe escapa das mãos e ela vai atrás. É quando encontra o sapo.
A peça segue com muitas coisas engraçadas, como a tentativa do sapo de fazer com que a princesa o beije.

Lembro também de como fiquei revoltada com os soldados do rei obrigando uma senhora a andar descalça, porque segundo uma lei não se podia usar calçado num determinado dia. O texto da estória foi escrito por Ruth Rocha,  é uma adaptação. A peça era para as crianças mas traz uma lição muito importante a qual nunca esqueci que é a de que o poder muda as pessoas. É como aquela clássica frase do Lincoln "quase todos os homens são capazes de suportar adversidades, mas se quiser por à prova o caráter de um homem, dê-lhe poder." Abraham Lincoln. Esta é a mensagem da peça, esta é a lição que aprendi.

Olhando nossos políticos e alguns aspirantes a cargos públicos, com tanto poder e com tanta liberdade, percebo que algumas pessoas se quer  precisam chegar ao poder para mostrar o seu caráter. Ainda estamos longe de termos uma sociedade mais justa. Sinto é que aqueles medíocres, que agem como agiu o sapo não possam ser castigados como o Rei Sapo o foi. É pena!!!

terça-feira, outubro 19, 2010

Esperança no futuro

Foto de divulgação, fonte site http://www.portocultura.com.br/
Histórias como esta me comovem! Também me fazem ter esperança. Não é por acaso que as pessoas tem esta ou aquela história. Exemplos como o do Jorge Luis Martins são uma demonstração clara de que o meio influência, mas não é determinante no carater de uma pessoa.
Desejo a ele sucesso com seu livro, muita paz e muita luz na sua caminhada. Agradeço pelo exemplo!

Ainda se cala a imprensa a bala

Estamos vindo de um passado recente em que a imprensa era calada a força. A censura instituída durante o regime Militar não pode ser negada, tampouco esquecida. A repressão que se fazia para que tudo se mantive-se "em ordem" também não pode cair no esquecimento. Afinal de contas não foi pouco o sofrimento, nem as mortes e ainda existem desaparecidos, feridas abertas que a atual democracia ainda não conseguiu encarar de frente. Talvez porque mexer nisso reacenda questões que foram, simplesmente abafadas.
Hoje não sofremos mais aquela censura. Mas existem outras. E em alguns lugares do país existe o coronelismo e o crime organizado que calam a bala quem não lhes agrada, foi assim com Chico Mendes, com Doroty Stein, com Tim Lopes e ontem com Francisco Gomes de Medeiros. O radialista havia denunciado a compra de votos. No entanto, esqueçam as dentaduras, os chinelos de dedos, as cestas básicas. F. Gomes denunciou a troca de votos por crack. É isto mesmo, por pedra! É absurdo, mas é a pura verdade.
Infelizmente creio que ainda levará tempo para que coisas como estas não aconteçam. Ainda falta um maior comprometimento da imprensa com as questões sociais. Sinceramente, às vezes tenho a impressão de que aqueles que lutaram com tanta garra para mudar o Brasil, para conseguir vencer a ditadura e a censura não deixaram sementes. Parece que o objetivo era lutar para que cada um dissesse o que quisesse sem nenhuma responsabilidade. E o pior é que a coisa foi ficando de tal jeito que se diz de acordo com o valor pago, apenas isso E COMO O PAGANTE QUER.
Fico profundamente consternada ao saber que pessoas comprometidas com a verdade e com um ideal sejam assassinadas covardemente. Pior que isto só saber que crimes como este acontecem e muitas vezes não são solucionados, levam tempo demais perdido nas teias da Justiça.

segunda-feira, outubro 18, 2010

Segundo turno Independente

Gosto da discussão política que visa a melhoria do coletivo. Gosto das pessoas engajadas que fazem da sua vida a própria luta, um exemplo de como é importante que cada um faça a sua parte. Adoro gente que defende suas opiniões e mesmo que aquilo pareça demasiado utópico não deixa de defender e seguir dentro da sua ideologia com coerência.
Mas não gosto de pessoas que defendem uma ideia condenando todas as outras. Não gosto do que vejo na política brasileira. Corrupção, desrepeito com os cidadãos, desinteresse, acusações e conchavos. Não acho nada coerente combater durante anos partidos de "direita" como oposição e agora estar junto, no mesmo palanque, na mesma chapa. Sei que não se trabalha pelo coletivo sozinho, é preciso um grande grupo e vontade para fazer. O Partido dos Trabalhadores, a oposição mais raivosa que tivemos no país, aprendeu a duras penas. E tanto mudou que perdeu toda a sua característica de esquerda. Perdoem-me meus amigos partidários, mas olhando de fora é isto que eu vejo. Uma vez situação tudo mudou e as desculpas esfarrapadas tão criticadas outrora passaram a ser corriqueiras. E aquelas pessoas que eu via carregando bandeiras, participando de caminhadas e bandeiraços não estão mais no meio da multidão. Nestas eleições vi muita gente sacudindo bandeira, mas estavam recebendo para isto. Eu mesma participei muitas vezes, e não me arrependo, acreditava no que ouvia. Já hoje não é mais a mesma coisa.
Mesmo não me identificando tanto com o PT hoje em dia, ainda não estou azul. Jamais concordei com a forma um tanto quanto preconceituosa de se dirigir aos concorrentes do PSDB. O bico afiado não parece de um tucano. E a coisa é tão maluca que daqui a pouco voltarão a dizer que os comunistas comem criancinhas! (Quando sabemos que quem faz isso são aqueles caras...) A musiquinha que diz que o Serra é do bem insinua claramente que a Dilma é do? Do? Alguém??
Sinceramente? Pensei que tivéssemos passado desta fase, que tínhamos evoluído e discutiríamos ideias, ideais, propostas, projetos.
É por isto que me identifico mesmo com o PSol e com o PV. O primeiro por ser uma ala dissidente do PT, que não aceitou os conchavos e negociatas. E com o segundo pela sua coerência e linearidade. O PV sempre foi o PV, sempre foi verde, sempre defendeu as mesmas propostas, não mudou no cerne. No primeiro turno votei Marina. Por isto não gosto de ver o Serra usando o nome dela na sua propaganda política como se ela o apoiasse.
Gostei muito da declaração de independência no segundo turno. Óbvio que ela votará em alguém, ao contrário de mim que estou decidida a anular meu voto. Mas é importante deixar claro, tanto Marina, quanto o PV sua posição de neutralidade, o seu não apoio a ninguém. Embora na minha opinião o mais coerente é que quem tenha votado na Marina e no Plínio, pela característica política dos partidos, vá votar na Dilma no segundo turno. Mas o povo não é lá muito lógico. E acaba que a política fica parecida com o futebol, "uma caixinha de surpresas"!

segunda-feira, outubro 11, 2010

Analfabetismo vira polêmica, mas ninguém dá uma solução

Num país de muitos milhões de analfabetos, inclusive muitos considerados analfabetos funcionais (aqueles que sabem ler e escrever, mas não entendem e não conseguem interpretar) é polêmica eleger um deputado federal que não saiba ler e escrever. Sim, o mínimo que se espera de um legislador é que o dito cujo saiba, pelo menos, "acolherar" as letrinhas compreendendo a proposta dos colegas de Câmara. É óbvio que a questão em torno da eleição de Tiririca vai muito além do fato do comediante não saber ler.
Discordo  do voto de protesto porque acho muito importante colocar como nossos representantes pessoas que tenham comprometimento e demonstrem capacidade de redigir leis que beneficiem o povo. No entanto, considero muito mais importante que o eleito tenha bom caráter, seja honesto e trabalhador. Se ele não souber redigir uma lei ou não conseguir entendê-la pode pedir auxilio para alguém. O problema é ele entender tudo isto e usar de má fé.
Neste comparativo o palhaço Tiririca está muito a frente da maioria dos eleitos para o mesmo cargo. Mesmo que ele seja analfabeto, saí na frente tendo a ficha limpa, pois que se saiba não há contra o comediante nenhum processo crime, nem denúncias de calotes, processos trabalhistas etc. Já não se pode dizer o mesmo dos políticos profissionais que se consideraram ofendidos por ter que dividir o "picadeiro" com ele.
Acho que os deputados federais deveriam ficar ofendidos sim. Deveriam ficar tão ofendidos a ponto de renunciar seus mandatos agora, já, antes de serem empossados (alguns pela segunda ou terceira vez). Na minha opinião eles deveriam ficar envergonhados e saírem da vida pública, afinal a eleição de Tiririca demonstra claramente que o povo cansou. Cansou de ser feito de PALHAÇO por gente tão bem "educada", tão bem nascida, com tão bom nome, com grana.
A atitude dos nossos representantes contra Tiririca demonstra como eles nos vêem. Para eles somos menos, não temos o direito de estar aonde eles estão. Quando eles precisarem, bem, aí sim podemos ir até eles, ou melhor, os próprios vem até nós, nos abraçam, fazem promessas, dão tapinhas nas costas, depois disso voltam para seus "palácios" fecham as portas e nos deixam do lado de fora, como se fôssemos nós que precisassemos deles.
Tiririca foi o deputado federal mais votado. Porque não impugnaram a candidatura dele se não havia toda esta desconfiança? Porque no rastro dele, na sobra de seus votos, vieram outros. Deveriam se indignar e agir de forma real para a erradicação do analfabetismo ao invés de ficarem protestando e falando e falando... Mas é óbvio que não há interesse de erradicar este mal. Pois desta forma, o quadro político não teria sido de um palhaço analfabeto eleito, mas sim de uma limpeza total e uma corja de politiqueiros que teria sido expulsa.

terça-feira, outubro 05, 2010

Ainda tem sujeira nas ruas

Passando de ônibus por alguns locais da cidade percebi que ainda tem muito lixo eleitoral rolando por aí. Na Juscelino com Rafael Pinto Bandeira, por exemplo, nas imediações do "abriguinho", tem vários santinhos sujando a calçada. Na mesma Juscelino, só que próximo ao Colégio Dom João Braga também. Não bastasse todo o entulho que os candidatos jogaram rua afora em busca de votos ainda tem algumas pessoas que depositam o seu lixo em local indevido. Vamos ter mais educação e jogar o lixo em lugar adequado e devidamente separado, não custa nada e a natureza agradece. Aliás, tu, teus filhos e netos agradecerão no futuro!

Bandeiras

Gostaria apenas de fazer o registro de uma constatação que fiz nesta eleição. Não foi feita pesquisa,não há método científico nada, apenas observei que o Partido dos Trabalhadores perdeu sua força. Calma gente! Eu sei que quase elegeram em 1º turno a primeira presidenta do Brasil. Mas... Em eleições anteriores via-se pessoas que carregavam bandeiras, levavam no peito o símbolo do partido, colocavam a legenda na cabeça em bandanas e bonés. Não é mais assim. Observei atentamente e não vi aquelas pessoas, universitários, professores, gente comum que fazia sua campanha silenciosa e inundavam de vermelho as ruas da cidade.
Haviam bandeiras tremulando nas esquinas. No geral todas nas mãos de gente que estava sendo paga para estar ali. Notei uma visível queda na militância espontânea.