terça-feira, setembro 01, 2009

Venda de fichas para atendimento médico

Não há nenhuma novidade na manchete do jornal Hoje, de ontem, dizendo que pessoas passam noites em filas para conseguir agendar uma consulta com especialistas e que nestas mesmas filas há pessoas que vendem a tal senha. Estas coisas ocorrem porque é absurda a maneira como, burocraticamente, os serviços públicos funcionam, ou seria, não funcionam? Basta pensar o quão burro e ineficiente é o fato de a pessoa ter que ficar numa fila para receber uma senha, para depois entrar no posto, ou noutro órgão de saúde, para aí marcar a consulta com o especialista, principalmente pelo fato imprescindível de ter passado pelo clínico geral, que é quem encaminha o paciente para o especialista.
Vejam como é dispendioso, desnecessário, desorganizado e completamente ineficaz. Na minha cabeça é simples resolver este problema, basta centralizar o agendamento. A pessoa que agenda precisa ver os documentos do encaminhamento? Então ela fica a disposição dos pacientes na central durante o período do expediente, a pessoa vai com os documentos, o funcionário pega a agenda, vê quem é o especialista na área em que o cidadão mora e marca na agenda dele e no sistema de marcação de consulta, que deveria funcionar de forma integrada. Pronto o paciente vai embora sabendo o horário e o dia de sua consulta e não precisou ficar uma noite inteira na fila. A simples organização do sistema, com funcionários suficientes para atender acabaria com as filas imensas madrugada a fora e a tal venda de senha. Gente, tudo bem que o sistema público tem suas particularidades, mas as pessoas muitas vezes não resolvem as coisas porque não querem. Eu trabalhei na secretaria de saúde aqui de Pelotas e sei bem disso. Se o paciente fosse direto onde tinha que ir acabava sendo mandado pra outro lugar ou ficava esperando, se pedisse ajuda a um agente redutor de danos ou comunitário de saúde as coisas eram feitas. Porquê? Por que o funcionário que tem o poder de marcar as consultas se sente poderoso. E como sabemos, "se quisermos conhecer alguém é só dar o poder a ele".
O agendamento funciona em clínicas particulares, em consultórios médicos e odontológicos, só não funciona no serviço público, porque eles tem a capacidade de burocratizar tudo. Na caixa, por exemplo, a gente liga para agendar o atendimento, daí eles dizem o horário, então vamos até lá e ficamos esperando, até sermos atendidos. E porque? Porque os atendentes do agendamento marcam 10 pessoas para o mesmo horário e só têm quatro caixas atendendo. Assim não funciona mesmo, sempre vai ter gente esperando.Para resolver basta fazer um cálculo da média de tempo que os caixas levam para atender um cidadão, se é cinco minutos, e são quatro caixas, só devem ser marcadas quatro pessoas para cada horário. É simples e não tem complicação, é só vontade de fazer bem feito. Mas no serviço público, e já vi mais de uma vez isso, quem trabalha e faz as coisas funcionarem acaba sendo demitido. Infelizmente é assim. Desta forma sempre haverá pessoas esperando em filas, aproveitadores vendendo senhas e reclamações do serviço público.

Um comentário:

  1. Dani, essa letrinha branca nesse fundinho preto é para matar o velho...

    ResponderExcluir

Comentem pessoal, mesmo que suas opiniões sejam diferentes das minhas eles serão publicados. Só não pode comentário ofensivo, dedo no olho e mordida na orelha. Por favor assine seus comentários, não há porque ser anônimo quando se dá opinião. Comentários sem assinatura não serão publicados!