quarta-feira, dezembro 21, 2011

Não é tudo a mesma coisa!


Algumas pessoas olham para esta cena e não notam nada demais. Passam direto, não percebem o que não deveria ser, apenas enxergam o que já é natural aos seus olhos. Para alguns até pode ser que "tudo"  ali é a mesma coisa! Mas, preste bem atenção, olhe de novo. Não é TUDO a mesma COISA!
Existe um ser humano ali, embora sujo, ainda que jogado na calçada junto com sacos de lixo com aquelas coisas todas que não queremos mais. Ele é negro, ele vive na rua, ele não tem casa, não tem emprego, sobrevive da ajuda dos outros. A vida e as experiências dele podem ir contra tudo aquilo que nos ensinaram que as pessoas devem ser ou que devem ter. Ele deve ter errado muito, como eu e vocês. Ele vive na companhia da cachaça. E tudo isto talvez te faça pensar, que se dane é a escolha dele. Mas ainda assim, tem um ser humano ali.
Tem muitos pontos que podemos considerar aqui, o livre arbítrio da pessoa, as condições de criação, algum erro grave contra a própria família. Podemos discutir questões filosóficas ou religiosas, mas nenhuma teoria ou argumento vai mudar o fato de ali, bem ali, existir um ser humano. Um ser humano igual a nós de carne e de osso, de sentimentos, de gostos e desgostos. Sempre observo este senhor, fico horrorizada quando o vejo jogado na rua, dormindo no meio da calçada, sob o sol escaldante do verão ou sobre as lajotas congelantes no inverno. Sei que ele, algumas vezes dorme no albergue noturno.
Ele guarda carros nesta quadra. Ele ganha comida de pessoas ali da região. Conversa com outros cuidadores de carros, na maioria das vezes está com uma garrafinha de canha. Algumas vezes tem um conhecido que vem conversar com ele. E ainda que um homem de rua,  os colegas que também guardam carros por ali expressam preocupação por ele beber demais e se jogar, algumas vezes de cabeça, na calçada dura que ele faz de cama sem cobertor.
Alguns dias atrás o país se comoveu com as cenas chocantes de uma mulher agredindo um cachorrinho até a morte. Foi apresentada denúncia contra a enfermeira, teve muita revolta e teve até quem quisesse linchar a dita cuja. Concordo com a denúncia e acho que ela deve sim pagar pelo que fez de errado. Mas não considero mais valiosa a vida de um animal do que a vida de um ser humano. Ainda que ele viva em meio ao lixo, que não tenha casa, família, que a cor da sua pele seja diferente, que seus costumes sejam outros, que seja homo afetivo, ainda que existam mil adjetivos para descrevê-lo e nos fazer reconhecê-lo na multidão o mais importante de todas  as qualidades é que... É UM SER HUMANO. Existe um ser humano ali, uma pessoa. Mesmo que existam algumas como a tal enfermeira, ou que os defeitos sejam menores (ou maiores) isso não quer dizer que todas são iguais. Caso seja para lutar de forma igualitárias por todas as minorias transformando todos os homens realmente em iguais. Se for assim até pode tratar como tudo igual. O que mais queremos é que todos sejamos iguais, colocando todos no mesmo patamar, num patamar bom. Mas se é pra diferenciar as pessoas pela cor da pele, pela quantidade de dinheiro... Não, não é tudo a mesma coisa não!

Um comentário:

  1. Enfim achei um blog q vale a pena parar e ler.

    ResponderExcluir

Comentem pessoal, mesmo que suas opiniões sejam diferentes das minhas eles serão publicados. Só não pode comentário ofensivo, dedo no olho e mordida na orelha. Por favor assine seus comentários, não há porque ser anônimo quando se dá opinião. Comentários sem assinatura não serão publicados!